PANDEMIA

DF alcança maior taxa de transmissão de covid desde o fim de janeiro: 1,80

O índice mostra que 100 moradores do DF infectados com o vírus podem transmiti-lo a outras 180 pessoas, em média

Talita de Souza
postado em 10/06/2022 20:43 / atualizado em 10/06/2022 21:28
Pessoas fazem fila para testagem da covid-19 na rodoviária -  (crédito:  Carlos Vieira/CB)
Pessoas fazem fila para testagem da covid-19 na rodoviária - (crédito: Carlos Vieira/CB)

Pelo sexto dia consecutivo, a taxa de transmissão da covid-19 no Distrito Federal registrou aumento e atingiu, nesta sexta-feira (10/6), o patamar mais alto desde 27 de janeiro: 1,80. O índice mostra que 100 moradores do DF infectados com o vírus podem transmiti-lo a outras 180 pessoas, em média.

O aumento contínuo na taxa de transmissão mostra o descontrole da pandemia no DF. Autoridades sanitárias apontam que o índice, obtido pelo cálculo da média móvel de casos, deve permanecer abaixo de 1 para ter a certeza de que o avanço da doença está sendo mitigado. No DF, esse ideal não é alcançado desde 5 de maio e, em apenas um mês, o índice cresceu 64 pontos — em 10 de maio, a Subsecretaria de Vigilância em Saúde anunciava a taxa de 1,16.

Após o DF atingir o maior pico de transmissão em 2022, em 21 de janeiro, a taxa passou a diminuir gradualmente e, por meses, permaneceu abaixo de 1. O índice de 1,80 não era registrado desde 26 e 27 de janeiro, quando a taxa de transmissão atingiu 1,87, e, um dia depois, caiu para 1,71. 

De acordo com o boletim publicado pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF), até às 17h desta sexta-feira (10/6), foram registrados 3.991 novos casos no DF. Em 10 de maio, apenas 188 novos diagnósticos foram notificados à SES-DF. 

Apesar de alto, o número de novos infectados no DF nesta sexta é menor do que os diagnosticados na quinta-feira (9/6), quando 4.898 pessoas testaram positivo para a doença. No total, o Distrito Federal tem 740.912 casos confirmados desde o início da pandemia, em março de 2020.

DF registra duas mortes de idosos com comorbidade

Duas mortes causadas pelo vírus foram registradas nesta sexta-feira (10/6). Os óbitos ocorreram em 9 de junho, em hospitais. As vítimas são uma mulher e um homem, na faixa etária acima de 70 anos e com comorbidades do tipo “distúrbios metabólicos” e “cardiopatia”.

Desde março de 2020, o DF notificou 10.683 pessoas que faleceram em decorrência da covid-19

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE