Posse

Após dois anos sem eleições, diretores da rede pública de ensino tomam posse

Eleitos em 25 de outubro de 2023, diretores e vice-diretores tomaram posse nesta terça-feira (02/01) em uma cerimônia realizada no Palácio do Buriti. Os mandatos acabam em 31 de dezembro de 2027

Diretores das escolas da rede pública de ensino do DF tomam posse -  (crédito: Créditos: Divulgação/ Agência Brasília )
Diretores das escolas da rede pública de ensino do DF tomam posse - (crédito: Créditos: Divulgação/ Agência Brasília )
postado em 02/01/2024 16:56

Os diretores e vice-diretores que foram escolhidos em 25 de outubro de 2023, tomaram posse nesta terça-feira (02/01) em uma cerimônia realizada no Palácio do Buriti, após dois anos sem eleições na rede de ensino por conta da pandemia de covid-19. Os diretores e vice-diretores vão passar por um curso de formação de três dias, a partir desta quarta-feira (03/01), para conhecer aprofundar os conhecimentos sobre o papel deles na escola, como funciona a Secretaria de Educação, e como trabalhar com o cartão Pdaf (Programa de Descentralização Administrativa e Financeira), a nova ferramenta de implementação de gastos da Secretaria.

O mandato dos eleitos será de quatro anos, até 31 de dezembro de 2027, quando serão realizadas novas eleições para o comando de 701 escolas do Distrito Federal. A governadora em exercício Celina Leão, destacou a importância da votação. “Quando o gestor é eleito pela comunidade, temos o poder do voto, o poder da democracia por trás dessa escolha. A população não vai escolher uma pessoa ruim, uma pessoa que não tem comprometimento”, disse ela. A secretária de Educação do Distrito Federal, Hélvia Paranaguá, também comentou da relevância do processo: "Quando um pai vota, um estudante vota, quando eles escolhem seu representante, o resultado com certeza é muito melhor; e a cobrança para que seja feito bom trabalho é muito maior”, comentou.

Celina também ressaltou a importância da educação na sociedade. “Ninguém transforma nada se não for por meio da educação. Se você vê lixo na rua, é porque a pessoa não está recebendo a informação correta. Se a gente perde 35 mulheres para o feminicídio, significa que precisamos educar nossas crianças pequenas, para que elas entendam que a mulher não é propriedade de ninguém”, disse.

Paulo Gileno, diretor reeleito para dirigir a Escola Classe 410 de Samambaia, exaltou a gestão democrática adotada na rede pública de ensino do DF. “É importante que todos os membros da comunidade escolar tenham a oportunidade de deixar sua opinião, de escolher quem eles acham que é a melhor opção para poder comandar a escola, porque o diretor tem papel primordial na garantia de uma educação pública de qualidade”.

Adalgisa Pereira, que foi eleita diretora da Escola Classe 20 de Ceilândia, disse que a gestão democrática dá voz à comunidade escolar. “É a melhor forma de entrarmos em contato com as necessidades da população local”, garantiu a funcionária pública, que atua na Secretaria de Educação há mais de 30 anos. “Além disso, é uma ótima oportunidade de ensinarmos pais e alunos sobre o voto consciente para que, no futuro, eles consigam votar para presidente ou deputado com mais sabedoria”, comletou.

*Estagiário sob supervisão de Márcia Machado

 

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
-->