Estelionato

Casal é acusado de aplicar golpe do "Paco" em municípios goianos e no DF

A mulher foi presa e o comparsa está foragido. Dupla atuava em Goiás e em regiões administrativas da capital

Autores são acusados de aplicar golpes -  (crédito: PCGO/Divulgação)
Autores são acusados de aplicar golpes - (crédito: PCGO/Divulgação)
postado em 08/02/2024 21:59

A Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) prendeu, em Planaltina (GO), uma mulher, de 31 anos, acusada de aplicar o golpe do pacote de dinheiro, mais conhecido como golpe do “Paco”, no Distrito Federal e em municípios goianos. Daniela Rodrigues dos Santos atuava co o comparsa, Carlos Sérgio Alves, 54, que encontra-se foragido.

Daniela foi detida em Planaltina de Goiás. Segundo as investigações, ela e Carlos aplicavam os golpes em cidades de Planaltina (DF), Ceilândia, Brazlândia e Trindade (GO). Uma das ações ocorreu em junho de 2023, quando uma vítima efetuou uma transação em uma agência bancária e, depois, foi até uma loja.

A dupla criminosa, acreditando que a mulher havia sacado dinheiro no banco, armou o golpe e seguiram ela da agência até o comércio. “Na loja, a vítima notou que a carteira de Carlos havia caído. Ela prontamente recolheu a carteira e a devolveu ao suspeito. Nesse momento, Daniela aproximou-se e também interagiu com Carlos e a vítima. Carlos, agradecendo o gesto de honestidade, ofereceu um presente da sua alegada loja de relojoaria para ambas”, afirmou o delegado à frente do caso, Yasser Yassine.

Ainda seguindo o plano criminoso, Carlos pediu que a vítima e Daniela esperassem para buscar o presente. Daniela deixou sua bolsa com a vítima e acompanhou o comparsa. Momentos depois, a criminosa retornou com um relógio e uma quantia em dinheiro. Acreditando na boa-fé dos autores, a vítima deixou a bolsa com Daniela e foi em busca do presente. No entanto, ao retornar, constatou que o casal havia desaparecido com sua bolsa, que guardava cartões de crédito, carregador de telefone, fotos, dinheiro e documentos pessoais, totalizando um prejuízo superior a R$ 250.

“Importante destacar que os acusados possuem um histórico criminal extenso na prática delitiva do mesmo crime, tendo sido preso inúmeras vezes, nos últimos anos. Sérgio, por exemplo, confessou, em uma de suas prisões, que pratica esse delito há pelo menos 20 anos”, frisou o delegado. A PCGO divulgou a foto dos dois criminosos, pois há a possibilidade dos suspeitos terem feito mais vítimas.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação