Crime

Estelionatários que deram golpe de R$ 700 mil estão foragidos

A PCDF realizou, na manhã desta sexta-feira (23/2), uma operação para prender o grupo criminoso. Eles teriam cometido o crime no fim de 2022

João Gutemberg da Silva (camisa amarela e barba) e Luciano de Oliveira Gomes (camisa polo preta) estão foragidos e são procurados pela PCDF pelo crime de estelionato -  (crédito: Divulgação/ PCDF)
João Gutemberg da Silva (camisa amarela e barba) e Luciano de Oliveira Gomes (camisa polo preta) estão foragidos e são procurados pela PCDF pelo crime de estelionato - (crédito: Divulgação/ PCDF)
postado em 23/02/2024 08:21 / atualizado em 23/02/2024 08:55

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) cumpriu, na manhã desta sexta-feira (23/2), seis mandados de prisão preventiva contra um grupo que praticava estelionatos. A associação criminosa teria causado um prejuízo de R$700 mil a um empresário. Na operação, quatro integrantes foram presos e dois estão foragidos, tendo a polícia divulgado as fotos deles.

Segundo as investigações, os autores cooptaram a vítima, que é empresário do ramo de agronegócio, se passando por diretores do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Os criminosos solicitaram o pagamento de R$ 700 mil em dinheiro, a título de taxa, para que conseguissem liberar um empréstimo com taxas vantajosas no valor de R$ 20 milhões.

Com duração de dois meses, as negociações do golpe entre os criminosos e a vítima ocorreram em um restaurante na Asa Sul. Já a entrega do dinheiro ocorreu em um restaurante no Lago Sul. Os crimes teriam ocorrido no final de 2022.

Após um ano de diligências para identificar os autores, a 10ª DP (Lago Sul) deflagrou a Operação Fomento II para o cumprimento dos mandados de prisão preventiva dos golpistas, que foram deferidos pela 5ª Vara Criminal de Brasília. As ordens foram cumpridas em Águas Claras, Guará e Goiânia (GO).

Na ação policial, dois alvos não foram localizados e seguem foragidos. Eles foram identificados como João Gutemberg da Silva (camisa amarela e barba) e Luciano de Oliveira Gomes (camisa polo preta e azul). A PCDF destacou que, por essa razão, está divulgando as fotos para que quem tenha qualquer informação acerca das localizações dos investigados, entrem em contato com a polícia por meio do 197.

Além disso, segundo a PCDF, parte dos autores já foram investigados pela 10ª DP na Operação Falso Fomento I, que resultou em um golpe de R$ 2 milhões. Os criminosos também são alvo de investigações promovidas pela Polícia Civil do Estado de Goiás, em golpes ocorridos na unidade federativa.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação