INCLUSÃO

Projeto oferece carteiras de identificação para pessoas com deficiência

A Carreta da Inclusão fica no Guará, ao lado da feira, até esta sexta-feira (12/7). O espaço, que também oferece jogos eletrônicos adaptados, seguira depois para o Recanto das Emas, Samambaia, Gama, Santa Maria e Planaltina

Projeto Carreta da Inclusão começou pelo Guará 2
     -  (crédito:  Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Projeto Carreta da Inclusão começou pelo Guará 2 - (crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

Para proporcionar suporte e legitimação de direitos para pessoas com deficiência, o projeto Carreta da Inclusão estreou ontem, no Guará 2, com a proposta de oferecer serviços de emissão de carteirinhas de identificação para cidadãos com qualquer tipo de deficiência e para aqueles com transtorno do espectro autista (TEA). "Estou muito feliz pela oportunidade que minha filha e outras pessoas estão recebendo e esperamos que ajude muitas pessoas", disse Cibele Moreira, 34 anos, servidora pública. "Ainda é o começo de uma luta, mas agora temos os nossos direitos reconhecidos e podemos correr atrás deles", destaca Débora Caroline, 28, pessoa com TEA.

A iniciativa solidária foi idealizada pela Secretaria da Pessoa com Deficiência, em parceria com a Secretaria de Tecnologia e Inovação do Distrito Federal (SECTI-DF). A primeira RA a receber o projeto foi o Guará, que recepciona a carreta entre 10 e 12 de julho, no estacionamento do CAV, QE 25, ao lado da feira. O projeto chegará a outras cinco regiões administrativas do DF.

Segundo o Secretário da Ciência, Tecnologia e Inovação, Leonardo Reisman, o projeto é considerado uma verdadeira aliança entre a tecnologia e a inclusão. "É um prazer atender esse público e legitimar cada vez mais os direitos deles", destaca Santos. "Projetos como esse facilitam a acessibilidade dessas pessoas aos serviços e a garantia dos seus direitos", adiciona o Secretário da Pessoa com Deficiência, Flávio Santos. Segundo ele, a previsão é de 4 mil entregas de carteiras e uma média de 5 a 6 mil pessoas sendo atendidas dentro desse fluxo.

Além disso, a Diretoria de Emprego e Renda da Secretaria da Pessoa com Deficiência oferecerá suporte àqueles que estão em busca de oportunidades no mercado de trabalho. Este serviço é muito importante para quem enfrenta obstáculos burocráticos ou tem dificuldade em obter informações sobre como acessar seus direitos.

Hedrienny Cardoso, 38 anos, mãe de Daniel, 12, Júlia, 10 e Pedro, 7, conta que os filhos mais velhos nasceram com deficiência visual, mas sempre os incentivou a ser felizes e ampliar seus talentos. "Cabe a nós, cuidadores, famílias, estimular esse talento e acreditar nelas para que elas possam alcançar o máximo de potencial possível", enfatiza. Para ela, projetos como a carreta é uma centelha de esperança. " Saber que eles vão poder viver em um mundo mais digno, com mais inclusão, cidadania, reafirma o sentimento de que as coisas podem sim melhorar", adiciona.

O humorista Jackson Rosa, 43 anos, é surdo unilateral há pouco mais de um ano e conta que não tinha conhecimento nenhum em relação a direitos dos PCDs, mas agora sabe que pode recorrer a eles. "Meus direitos como PCD foram garantidos há quatro meses e, com essas campanhas, fica mais evidente como realmente é a vida de um surdo unilateral, e isso ajuda muito", analisa.

  • Projeto Carreta da Inclusão começa pelo Guará 2
    Projeto Carreta da Inclusão começa pelo Guará 2 Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
  • Secretário da Pessoa com Deficiência, Flávio Santos, no Guará 2, para o começo do Projeto Carreta da Inclusão
    Secretário da Pessoa com Deficiência, Flávio Santos, no Guará 2, para o começo do Projeto Carreta da Inclusão Fotos: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
  • Secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Leonardo Reisman, no começo do Projeto Carreta da Inclusão, no Guará 2
    Secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Leonardo Reisman, no começo do Projeto Carreta da Inclusão, no Guará 2 Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
  • O humorista Jackson Rosa aprendeu sobre seus direitos no Projeto Carreta da Inclusão, que começou pelo Guará 2
    O humorista Jackson Rosa aprendeu sobre seus direitos no Projeto Carreta da Inclusão, que começou pelo Guará 2 Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
  • Débora Caroline Arruda de Araújo no Projeto Carreta da Inclusão, que começou pelo Guará 2 .
    Débora Caroline Arruda de Araújo no Projeto Carreta da Inclusão, que começou pelo Guará 2 . Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
  • Projeto Carreta da Inclusão começou pelo Guará 2
    Projeto Carreta da Inclusão começou pelo Guará 2 Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
  • Cibele e a filha Maria Clara no Projeto Carreta da Inclusão, que começou pelo Guará 2
    Cibele e a filha Maria Clara no Projeto Carreta da Inclusão, que começou pelo Guará 2 Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
  • Projeto Carreta da Inclusão começou pelo Guará 2
    Projeto Carreta da Inclusão começou pelo Guará 2 Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
  • Patrícia Suelene se emocionou ao receber a certeirinha
    Patrícia Suelene se emocionou ao receber a certeirinha Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
  • Projeto Carreta da Inclusão começou pelo Guará 2
    Projeto Carreta da Inclusão começou pelo Guará 2 Marcelo Ferreira/CB/D.A Press

Conquista

Na próxima segunda-feira (15/7), Patrícia Suelene, 55 anos, será nomeada como a mais nova servidora pública da Secretaria de Educação. A conquista tem um gosto especial não somente pela idade, mas por superar as dificuldades que não a limitaram de estudar. Ela é deficiente visual e conta que se emocionou muito ao descobrir que havia passado no concurso. "Nunca desisti e continuei estudando. Quando saiu meu nome na nomeação, eu chorei muito", relembra.

"Mas venci também hoje (ontem) por estar recebendo essa carteirinha com muita alegria. Mesmo com as minhas dificuldades, agora eu não tenho mais vergonha", afirma Patrícia. "Eu não tenho que ser excluída e não tenho que me esconder porque passei como deficiente. A inclusão é isso, eu posso ser feliz porque fui incluída. Essa inclusão se chama minha identidade e eu estou assumindo ela nesse exato momento ao pegar essa carteirinha", comemora.

Programação

Além dos serviços práticos, a Carreta da Inclusão oferece tendas de jogos eletrônicos em um ambiente adaptado às necessidades de cada pessoa. A arena estará equipada com tecnologia assistiva e jogos projetados para serem acessíveis a todos, independentemente das limitações físicas.

Entre 10 a 12 de julho, a carreta estará, a partir das 10h, no estacionamentodo CAV, QE 25, ao lado da feira, no Guará. Após, o programa seguirá para outras regiões administrativas de Brasília, como: Recanto das Emas, de 30 de julho a 1º de agosto; Samambaia, de 13 a 15 de agosto; Gama, de 27 a 29 de agosto; Santa Maria, de 10 a 12 de setembro; e encerrará em Planaltina, de 24 a 26 de setembro. O atendimento é gratuito.

 

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

postado em 11/07/2024 05:00
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação