Astronomia

Meteoro rasante raro é registrado no céu do Rio Grande do Sul

O meteoro earthgrazer passou aproximadamente às 20h37 deixando um rastro longo e brilhante no céu, que parecia subir, em vez de descer

Cecília Sóter
postado em 17/06/2022 17:09 / atualizado em 17/06/2022 17:11
 (crédito: Observatório Espacial Heller & Jung)
(crédito: Observatório Espacial Heller & Jung)

Um meteoro rasante foi visto nos céus do Rio Grande do Sul, sobre a praia de Cidereira, no litoral norte do Estado, na noite da última quarta-feira (15/6). As informações são do Uol.

O meteoro earthgrazer passou aproximadamente às 20h37 deixando um rastro longo e brilhante no céu, que parecia subir, em vez de descer.

Segundo os astrônomos, esse tipo de meteoro acontece quando uma pequena rocha espacial entra em nossa atmosfera superior em um ângulo muito raso, e não queima completamente. Por esse motivo, ela "quica" e volta ao espaço, percorrendo uma grande distância no céu.

O fenômeno luminoso acontece com pouca frequência, e raramente é registrado por câmeras. Contudo, o Observatório Espacial Heller & Jung, em Taquara, no Rio Grande do Sul, conseguiu algumas imagens.

"A análise inicial indica que foi um earthgrazer da chuva de meteoros Southern June Aquilids, que é uma chuva fraca que ocorre neste período de junho", disse Carlos Fernando Jung, proprietário do observatório e diretor da Bramon (Rede Brasileira de Observação de Meteoros).

O meteoro entrou na atmosfera terrestres a uma altitude de 93,5km, e o último registro foi a 89,5km. Teve duração de 6,01 segundos e atingiu uma magnitude de -2,22 (brilho similar ao do planeta Júpiter).

"À medida que um earthgrazer passa pela nossa atmosfera, sua massa e velocidade mudam, de modo que sua órbita, ao reentrar no espaço, será diferente do que quando encontrou a atmosfera terrestre", explicou.

Os meteoros "tradicionais", que ocorrem com mais frequência, entram totalmente na atmosfera, descendo até as camadas mais baixas.

Nesse processo, devido à forte pressão e temperatura, a maioria é completamente vaporizada. Alguns têm fragmentos que resistem ao processo e caem em solo, recebendo o nome de meteoritos. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE