Cinema

Pelo segundo ano consecutivo, cresce número de mulheres na direção de filmes

Segundo pesquisa da Universidade de San Diego, as mulheres representaram 16% da direção dos 100 filmes de maior bilheteria de 2020

Adriana Izel
postado em 03/01/2021 16:59 / atualizado em 03/01/2021 17:00
Patty Jenkins, diretora de Mulher-Maravilha 1984, é uma das diretoras dos 100 filmes de maior bilheteria de 2020 -  (crédito: Marcos Tarini/Divulgação)
Patty Jenkins, diretora de Mulher-Maravilha 1984, é uma das diretoras dos 100 filmes de maior bilheteria de 2020 - (crédito: Marcos Tarini/Divulgação)

O número de mulheres na direção dos filmes blockbusters cresceu em 2020. É o que indica a pesquisa "The Celluloid Ceiling: Behind-the-Scenes Employment of Women on the Top U.S. Films of 2020" divulgada pelo Centro para Estudo das Mulheres na Televisão e no Cinema da Universidade de San Diego, na Califórnia. O estudo avalia a presença feminina por trás das câmeras nos longas-metragens dos Estados Unidos e é realizado há 23 anos.

De acordo com os dados, esse foi o segundo ano consecutivo em que o percentual de diretoras aumentou nos filmes de maior bilheteria. Ao todo, as mulheres representaram 16% na direção dos 100 filmes blockbusters de 2020. Em 2019, o percentual foi de 12%, enquanto em 2018 de apenas 4%.

Chloé Zhao é a diretora de Nomadland, filme cotado para o Oscar 2021
Chloé Zhao é a diretora de Nomadland, filme cotado para o Oscar 2021 (foto: AFP PHOTO / CHARLY TRIBALLEAU)

Entre os filmes de maior bilheteria de 2020 e que impulsionaram o aumento dos números no estudo estão Mulher-Maravilha 1984, dirigido por Patty Jenkins; Aves de Rapina, de Cathy Yan; Nomadland, de Chloé Zhao, cotado para o Oscar de 2021, a ser realizado em abril; e Mulan, de Niki Caro.

Quando o índice aumenta para os 250 principais longas-metragens americanos de 2020, o número passa para 18%. Sendo também maior do que em 2019, quando a marca foi de 13%, e em 2018, com 8%.

Para a acadêmica Martha M. Lauzen, diretora do Centro para Estudo das Mulheres na Televisão e no Cinema da Universidade de San Diego, ainda é cedo para saber se esse o número é sinal de um movimento real de mudança ou apenas de curta duração por causa das pressões sociais. "O longo estudo fornecido pelo The Celluloid Ceiling sugere que a mudança evolutiva é mais provável do que uma mudança revolucionária", afirma na pesquisa.

Mulheres nos bastidores dos filmes

A presença feminina nos bastidores também cresceu. Em 2020, as mulheres representaram 25% dos cargos de direção, roteiro, produção, produção executiva e edição nos 100 filmes de maior bilheteria, ante da 20% em 2019. Nos 250 principais longas, o percentual foi de 23% para 2020, enquanto, em 2019, era de 21%.

Em relação à quantidade de mulheres nos sets, o estudo aponta a presença de 0 a 4 em 67% dos filmes, de 5 a 9 em 24% e de 10 ou mais em apenas 9%. Os números ainda são muito menores do que os homens, que são maioria em 71%, quando há 10 ou mais contratados do gênero masculino.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE