HOMOFOBIA

Cyberbullying: Walkyria Santos vai a Brasília pedir aprovação da 'Lei Lucas Santos'

Projeto que combate o cyberbullying leva o nome do filho da artista, que foi encontrado morto após ser alvo de homofobia na internet

Gustavo Soares - Especial para o Uai
postado em 10/08/2021 17:20 / atualizado em 10/08/2021 17:20
 (crédito: Instagram/Reprodução)
(crédito: Instagram/Reprodução)

A cantora Walkyria Santos foi a Brasília pressionar parlamentares com o propósito de aprovar uma lei que combata o cyberbullying. O projeto levaria o nome de seu filho, Lucas Santos, que foi encontrado morto aos 16 anos após ser alvo de ofensas homofóbicas. 

Através do Instagram, a artista pediu para que seus seguidores a ajudassem na empreitada marcando deputados federais e senadores do país inteiro.

"Hoje faz sete dias que perdi meu anjo. Meu príncipe. Mas não quero chorar. Hoje não vai ser dia de choro não. Hoje vai ser dia de luta e vitória. Cheguei em Brasília, estou em Brasília”, iniciou Walkyria.

“Quero pedir a todos os deputados federais da Paraíba, do Rio Grande do Norte, Alagoas, Pernambuco. Brasil. E os senadores que, por favor, votem na 'Lei Lucas Santos' em caráter de urgência. Eu não salvei meu filho, mas a gente pode salvar o seu", disse a mãe do jovem.

"Hoje não vou chorar, vou lutar. Preciso do apoio de todos vocês. Me ajudem, peçam, marquem [os parlamentares], me ajudem! Com essa lei vai haver punição aos ataques, sejam homofóbicos, para denegrir a imagem, para diminuir as pessoas. A gente precisa parar com isso. A gente precisa parar essas pessoas que usam a internet para o mal", finalizou.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE