Diversão e Arte

Apresentadora polemiza ao questionar Martinho da Vila sobre milícias e escolas de samba

Apresentadora do Roda Viva abordou a relação entre as escolas de samba e o crime organizado no Rio de Janeiro

Gustavo Soares - Especial para o Uai
postado em 17/08/2021 15:14 / atualizado em 17/08/2021 15:15
 (crédito: reprodução/you tube)
(crédito: reprodução/you tube)

Na madrugada desta terça-feira (17/8), a jornalista Vera Magalhães figurou entre os assuntos mais comentados do Twitter após fazer uma pergunta polêmica ao cantor Martinho da Vila, convidado do Roda Viva desta segunda (16).

No programa, a apresentadora questionou o artista sobre uma suposta relação entre as escolas de samba com milícias do Rio de Janeiro. Martinho respondeu dizendo que "o jogo do bicho foi inventado em Vila Isabel, mas não tenho notícia da milícia dirigindo uma escola de samba".

Vera, na sequência, insistiu citando uma suposta ligação entre Adriano da Nóbrega, miliciano ligado à família Bolsonaro morto em fevereiro de 2020, com a escola de samba de Vila Isabel.

Martinho torna a responder que não sabe nada sobre o assunto. Após o Roda Viva, Vera Magalhães falou sobre o assunto no Twitter, dizendo que o sambista "fugiu do assunto".

"Martinho da Vila desconversou quando questionei sobre a infiltração mais recente das escolas de samba do Rio pelas milícias. Isso é um tema tabu que os sambistas têm de enfrentar", escreveu ela.

Em resposta ao tweet, Tunico, filho de Martinho, afirmou que o pai não fugiu da pergunta. "Não desconversou… ele só não quis conversar porque realmente é um assunto desnecessário e desrespeitoso com. Só isso. Nada demais”, escreveu.

Vera respondeu dizendo que não vê desrespeito algum no assunto abordado.

Tunico ainda publicou na rede social. "Com todo respeito Vera, respeite a história de meu pai. Porque ele simplesmente semeia no Brasil nossa Africanidade. Ele não semeia ódio, milícias e assassinatos como o de Marielle. Ele é Martinho da Vila, respeite a história dele".

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE