Moda

Billy Porter critica escolha de Harry Styles para capa da Vogue

Para o ator, a questão vai além da moda: ''Tive de lutar minha vida inteira para chegar ao lugar onde pudesse usar um vestido para o Oscar e não ser morto''

Izabella Caixeta - Estado de Minas
postado em 19/10/2021 16:33
Billy Porter afirma ser o primeiro a trazer a questão da moda não binária para os holofotes, muito antes de Harry Styles -  (crédito: Reprodução/Twitter)
Billy Porter afirma ser o primeiro a trazer a questão da moda não binária para os holofotes, muito antes de Harry Styles - (crédito: Reprodução/Twitter)

O ator, cantor e cineasta norte-americano Billy Porter virou um dos assuntos mais comentados dos últimos dias devido à uma entrevista publicada pelo Sunday Times onde criticou a escolha de Harry Styles como primeiro homem a usar vestido na capa da icônica Vogue americana.

O descontentamento de Billy se deve ao fato de não ter sido reconhecido como a pessoa que iniciou o movimento, e questionou a escolha de um homem branco e hétero para um espaço tão importante. "Não estou falando mal do Harry Styles, mas é ele que você vai tentar usar para representar esta nova conversa? Ele não se importa, ele só está fazendo isso porque é a coisa certa a fazer".

O ator de Pose é frequentemente visto em premiações e eventos usando peças femininas e masculinas em conjunto e levanta a discussão da moda não binária também em seu trabalho. No filme Cindelella, lançado este ano e estrelado por Camila Cabello, Billy interpreta a fada madrinha FabG, uma personagem não binária.

Para Billy, a questão vai além da moda, vem de uma trajetória de luta e conquistas por ser negro e gay em Hollywood. "Isso é política para mim. Esta é minha vida. Tive de lutar minha vida inteira para chegar ao lugar onde pudesse usar um vestido para o Oscar e não ser morto. Tudo o que ele precisa fazer é ser branco e heterossexual", afirmou o ator.

Harry Styles foi o primeiro homem a ser capa solo da revista Vogue
Harry Styles foi o primeiro homem a ser capa solo da revista Vogue (foto: Tyler Mitchell)

Segundo o ator, a escolha foi injusta, uma vez que ele afirma ter sido o primeiro homem a lançar a moda não binária e iniciar o debate sobre o assunto. "Eu, pessoalmente, mudei todo o jogo. E isso não é ego, é apenas um fato. Fui o primeiro a fazer isso e agora todo mundo faz", afirmou a estrela de Pose.

A capa da revista em questão foi anunciada em novembro de 2020 e publicada em dezembro é marcante por vários motivos. Foi a primeira vez que um homem estampou sozinho uma capa da Vogue americana, e foi apresentado usando vestido, impulsionando a quebra de diversos paradigmas sobre moda masculina e feminina. Harry foi muito elogiado na época por se destacar como ícone de estilo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE