Televisão

Adriana Esteves revela 'loucuras' nos bastidores de Avenida Brasil

A atriz também expôs que sentiu insegurança pelo grande sucesso da novela poder ofuscar seus projetos futuros

Rodrigo Bitencourt de Lyra - Especial para o Uai
postado em 04/11/2021 16:53 / atualizado em 04/11/2021 16:56
 (crédito: TV Globo/Reprodução)
(crédito: TV Globo/Reprodução)

Na manhã desta quinta-feira (04/11), a atriz Adriana Esteves foi homenageada no Encontro com Fátima Bernardes, TV Globo, apresentado atualmente por Manoel Soares e Patricia Poeta.

Adriana comentou o sucesso da personagem Carminha, em Avenida Brasil (2012), elogiou a liberdade que teve nos bastidores ao interpretar à vilã: "Tem autor que tem o seu apego ao texto, e eu respeito também, mas o João queria a gente livre então surgiram loucuras".

Ao lembrar dos bastidores das gravações, a artista contou que o escritor João Emanuel Carneiro e os diretores deixavam o elenco livre para poder criar. "O João falava: 'Deixa meu elenco livre!'", revelou. Esteves se emocionou e agradeceu pela homenagem do programa, complementando que sente muito orgulho de sua história na teledramaturgia.

Além de Carminha, Adriana deu vida a outras vilãs que também se tornaram icônicas nas novelas. Mas, após de Avenida Brasil, ela expôs que sentiu insegurança pelo grande sucesso do projeto poder ofuscar seus projetos futuros.

"Tive muito medo de qual seria o próximo personagem em seguida dela. Aquele receio de dali pra frente não conseguir corresponder ao meu ofício nos outros personagens", explicou.

"As frases da Carminha se aplicam à vida, tem hora que você tem que gritar em casa: 'Chega!' Isso ajuda, a Carminha exorciza", brincou Manoel Soares.

Segundo a famosa, os telespectadores brasileiros têm um carinho especial pelos vilões de novela. "Vilão é uma coisa amada! Pro vilão pode tudo, vilão pode errar, a mocinha não erra", brincou.

No final da atração, a atriz recebeu uma mensagem especial de uma colega de trabalho, a atriz Débora Falabella, que deu vida à personagem Nina , inimiga de Carminha na obra. "A Adriana pra mim é uma inspiração muito grande e em Avenida Brasil era uma aula a cada dia", afirmou Débora.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE