Cinema

Pré-estreia de 'Eduardo e Mônica' ocorre em sessão exclusiva

Verdadeira crônica do Planalto Central, filme dirigido por René Sampaio passou por festivais internacionais com boa repercussão. Estreia nacional será dia 6 de janeiro

Pedro Almeida*
postado em 14/12/2021 06:00 / atualizado em 14/12/2021 06:18
Eduardo e Mônica no Parque da Cidade -  (crédito: Janine Moraes)
Eduardo e Mônica no Parque da Cidade - (crédito: Janine Moraes)

Chegou, enfim, a hora da pré-estreia de Eduardo e Mônica, filme dirigido por René Sampaio. Depois de adiamento por conta da pandemia, o filme será apresentado hoje no Kinoplex do Park Shopping, às 20h. O diretor René Sampaio e parte do elenco estarão presentes no evento, que será somente para convidados.

Para além das letras de rebeldia e das canções de amor que caracterizavam o rock dos anos 1980, Renato Russo gostava de narrar histórias. Fazia com que os fãs projetassem imagens mentais sobre os quase nove intensos minutos que desenhavam um faroeste moderno no coração da capital brasileira; fazia, também, com que acompanhassem o amor improvável de Eduardo e Mônica como se fossem amigos próximos do casal. Para quem é de Brasília, o apelo é mais intenso. Renato não deixava de pincelar as letras com lugares marcantes da capital. René Sampaio, por sorte, era, a um só tempo, fã brasiliense e cineasta, formado na Universidade de Brasília. O diretor transformou essa paixão em filmes. Primeiro, Faroeste Caboclo, em 2013. Agora, o novo trabalho, Eduardo e Mônica.

Os versos não dão brecha: a história se passa em Brasília. Com várias cenas filmadas aqui, seria difícil pensar em outro lugar no Brasil para realizar o evento: “Esse filme não poderia começar em outra cidade no Brasil: só em Brasília. Fizemos todo o planejamento para estrear aqui em primeiro lugar. É importante para o filme e acho que para cidade também tem um gosto especial poder encontrar Eduardo e Mônica na tela grande antes dos outros. Vivemos uma grande experiência filmando aqui. É uma retribuição por todo o carinho que a equipe recebeu.”, afirma René.

Antes de pousar por aqui, o longa passou por festivais internacionais de cinema e foi visto por um público que majoritariamente não tem referência da canção ou do legado de Renato Russo. Perguntado sobre a recepção lá fora, René observa: “Foi muito precioso para o filme poder ser visto e abraçado por gente que não sabia nada da história original. Foi possível perceber que o filme emocionou gente do mundo inteiro a ponto de ser escolhido como melhor filme no festival de Edmonton, no Canadá, considerado, por muitos, uma bússola pro Oscar. Nos dá certeza que estamos contando uma história universal e moderna ao mesmo tempo.”

Se Renato Russo fazia questão de explorar Brasília e retratá-la nas letras, o mesmo não parece acontecer no audiovisual brasileiro. Existe a carência do brasiliense em se ver representado nas telas. “Sobre a nossa representação no audiovisual, acredito que poderia ser maior e mais diversa. Muito do que os olhares estrangeiros mostram é ligado à política. Brasília é muito mais do que isso. É o que tenho procurado mostrar nos meus filmes. Por outro lado, temos também outros grandes cineastas locais que fazem um excelente trabalho e mostram, cada um à sua maneira, uma capital diferente. Queremos e merecemos mais. Mas existe já um movimento muito forte e consistente na cidade que está pronto pra abraçar mais e maiores desafios.”

O filme estreia dia 6 de janeiro no Brasil e conta no elenco com Alice Braga, Bruna Spínola, Gabriel Leone, Fabrício Boliveira, Otávio Augusto e Ivan Mendes.

*Estagiário sob a supervisão de Severino Francisco

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE