INSS

Pressionado pelos bancos, governo aumenta juros no consignado do INSS para 2,14%

Segundo o Ministério do Trabalho e Previdência, o valor foi reajustado em razão da inflação e da Selic

Fernanda Strickland
postado em 07/12/2021 14:23

O Conselho Nacional de Previdência Social (CNPS) aprovou nesta terça-feira (7/11), por unanimidade, o aumento do teto de juros do empréstimo consignado e do cartão de crédito consignado de 1,80% para 2,14% e de 2,70% para 3,06%, respectivamente. O reajuste é para aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), aquele com o desconto já na folha de pagamento. A medida era cobrada pelos bancos.

Segundo texto divulgado pelo Ministério do Trabalho e Previdência, foram levadas em conta para a correção dos valores, tanto a Selic quanto a inflação. "Os conselheiros reconheceram a necessidade de alterar a taxa para se adequar às oscilações do mercado financeiro e ressaltaram a importância da educação financeira para aposentados e pensionistas do INSS", diz.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) teve alta considerável no período, de 8,45% neste ano, e passando dos 10% na janela de 12 meses. A Selic teve a sexta alta consecutiva. Ela estava em 2% ao ano no início de 2021 e já chegou a 7,75% na reunião de outubro do Comitê de Política Monetária (Copom).

Em 2020, durante a pandemia, a taxa máxima de juros que instituições financeiras cobravam de empréstimos consignados a aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) caiu de 2,08% ao mês para 1,8%.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE