COPA AMÉRICA

Brasil pode ter seleção sem "europeus" na Copa América

Jogadores teriam pedido ao presidente da CBF para não disputar o torneio. Tite não confirma, mas diz que atletas vão se manifestar depois dos jogos contra Equador e Paraguai

Marcos Paulo Lima
postado em 03/06/2021 21:08 / atualizado em 04/06/2021 01:07
O capitão Casemiro, do Real Madrid, representou os atletas em reunião com o presidente da CBF, Rogério Caboclo -  (crédito: Lucas Figueiredo/CBF)
O capitão Casemiro, do Real Madrid, representou os atletas em reunião com o presidente da CBF, Rogério Caboclo - (crédito: Lucas Figueiredo/CBF)

Tite e os jogadores não confirmam, mas convocados europeus teriam pedido ao técnico e ao presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, para não disputar a Copa América a partir do próximo dia 13, no Brasil. A informação foi divulgada pela Rádio Gaúcha e repercutida pelo jornalista Mendel Bydlowski, da ESPN, na entrevista para a partida desta sexta contra o Equador, no Beira-Rio, em Porto Alegre, pela sétima rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo do Qatar-2022. A saída dos "europeus" do elenco pode ocorrer depois da partida de terça-feira contra o Paraguai, em Assunção, ou seja, cinco dias antes da estreia dos atuais campeões do torneio continental contra a Venezuela, no Mané Garrincha, em Brasília.

A Seleção virou anfitriã da Copa América depois de Argentina e Colômbia serem vetadas devido a crises sanitárias e políticas nos dois países vizinhos. Cogita-se duas possibilidades nos bastidores: a Seleção ser representada somente por atletas vinculados a clubes do país, o que atrapalharia o Campeonato Brasileiro, ou pelo elenco Sub-23, hipótese mais provável. O grupo comandado pelo técnico André Jardine ensaia para os Jogos de Tóquio.

"Temos uma opinião muito clara e fomos leais, numa sequência cronológica, eu e Juninho, externando ao presidente qual a nossa opinião. Depois, pedimos aos atletas para focarem apenas no jogo contra o Equador (nesta sexta-feira, pelas Eliminatórias). Na sequência, solicitaram uma conversa direta ao presidente. Foi uma conversa muito clara, direta. A partir daí, a posição dos atletas também ficou clara. Temos uma posição, mas não vamos externar isso agora. Temos uma prioridade agora de jogar bem e ganhar o jogo contra o Equador. Entendemos que depois dessa Data Fifa, as situações vão ficar claras", respondeu o técnico Tite.

Escolhido para usar a braçadeira de capitão na partida de amanhã, o volante Casemiro não participou da entrevista para falar em nome dos atletas. Isso só deve acontecer na terça-feira depois da partida contra o Paraguai, em Assunção, pelas Eliminatórias. "Depois desses dois jogos, vou externar a minha posição", insistiu Tite, sobre a Copa América.

Questionado se os jogadores que atuam na Europa pediram para não disputar a Copa América, Tite avançou pouco na resposta. "Eles têm uma opinião, externaram ao presidente, e vão externá-la ao público em um momento oportuno. Inclusive, isso tem a ver com a ausência do nosso capitão, Casemiro, aqui nessa entrevista", explicou.

Tite continuou jogando na defensiva, mas fez questão de explicar: "Não estou abrindo mão das respostas e estou colocando os fatos, com discernimento e sensatez que tenho. É muito importante a Copa América. Mas, mais importante, é o nosso jogo amanhã. É jogarmos bem, porque vamos ser cobrados, inclusive com o nosso torcedor. Ele cobra nossa posição. Temos posição clara. Mas deixa a nossa cabeça voltada para o jogo de amanhã. Entendo todos vocês e também entendo que é importante essa posição e não estou me eximindo".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE