VATICANO

Papa Francisco pede a Biden que se preocupe com os mais pobres

Pontífice roga para que o democrata promova a reconciliação dos estadunidenses e seja construída uma sociedade com base nos valores históricos da democracia dos Estados Unidos; veja oração

Maíra Alves
postado em 20/01/2021 15:24
 (crédito: Handout/Vatican Media/AFP)
(crédito: Handout/Vatican Media/AFP)

O papa Francisco enviou uma mensagem ao novo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, nesta quarta-feira (20/1), com votos de que ele promova a reconciliação dos norte-americanos e que, nos próximos anos, seja construída no país uma sociedade com base nos valores históricos da maior democracia do mundo e no “respeito pelos direitos e a dignidade de cada pessoa, especialmente dos mais pobres".

“Ofereço-lhe meus cordiais votos e a garantia de minhas orações para que Deus Todo-Poderoso lhe conceda sabedoria e força no exercício de seu alto cargo. Sob sua liderança, que o povo americano continue a se nutrir dos altos valores políticos, éticos e religiosos que inspiraram a nação desde sua fundação”, orou.

O pontífice se dirige, ainda, às “graves crises que afligem a nossa família humana”, referindo-se à pandemia causada pelo novo coronavírus, que coloca os EUA no topo do ranking dos países mais afetados pelo vírus. Em oração, o papa lembrou, também, dos protestos étnico-raciais que aconteceram no país após o assassinato por estrangulamento do homem negro George Floyd por um policial branco. 

“Num momento em que as graves crises que afligem a nossa família humana requerem respostas clarividentes e unitárias, rezo para que suas decisões sejam guiadas pela preocupação de construir uma sociedade caracterizada pela justiça e liberdade autênticas, sempre com o respeito pelos direitos e a dignidade de cada pessoa, especialmente dos pobres, dos vulneráveis e daqueles que não têm voz.”

A mensagem foi concluída com a bênção que o pontífice estende a todo o povo norte-americano: "Invoco sobre o senhor, a sua família e ao amado povo americano uma abundância de bênçãos".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE