Fórum Econômico Mundial

Davos: Zelensky defende protocolo de prevenção contra guerras

Além de sanções prévias e punição aos agressores, o Fórum também debateu o preço para a reconstrução da Ucrânia

Deborah Hana Cardoso
postado em 23/05/2022 09:08
 (crédito: WEF/Reprodução )
(crédito: WEF/Reprodução )

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, foi muito aplaudido nesta segunda-feira (23/5) na retomada do Fórum Econômico Global de Davos, na Suíça. 

Zelensky, em seu pronunciamento, propôs que o mundo crie um protocolo de atuação preventiva quando um país comece a ameaçar outro, aplicando sanções já nesse momento. "É preciso que haja um precedente de punição aos agressores. Se o agressor perder tudo, esse será o preço que terminará com a motivação para que comece ou continue uma guerra. O mundo ainda não tem as ferramentas prontas para isso. A motivação para nós é muito simples: a humanidade deveria ter as ferramentas para se proteger contra a fome", disse o presidente ucraniano.

"Vemos que o mundo escuta e acredita na Ucrânia, mas precisamos aprender a como prevenir esse tipo de guerra no futuro. Não esperem que a Rússia use armas químicas, biológicas e nucleares. Protejam a liberdade, para que a Rússia e qualquer outro país do mundo que pense em invadir seu vizinho tenha sanções imediatas", discursou o presidente. "Nós oferecemos ao mundo um precedente do que pode acontecer quando uma guerra destrói a liberdade das pessoas", destacou Zelensky.

Em Davos, se debate também, com o fim da guerra, o preço para a reconstrução da Ucrânia - estimado em trilhões de euros por autoridades da União Europeia - e como financiar esse processo. Zelensky disse que seu país precisa de financiamento de ao menos US$ 5 bilhões por mês para se reconstruir após a invasão russa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE