ENTRETENIMENTO

Batalha dos streamings

''E se você acha que a disputa chega ao fim neste ano com o lançamento Disney+ está enganado''

Adriana Izel
postado em 17/11/2020 06:00 / atualizado em 17/11/2020 10:03
 (crédito: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)
(crédito: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)

Vivemos a era dos serviços de streaming. Mais do que nunca o modo de consumo televisivo incorporou as plataformas sob demanda. Na pandemia, o formato teve um crescimento em todo o mundo. Pesquisa da Conviva, empresa especializada em inteligência integrada de dados, mostrou que os serviços de streaming tiveram um aumento de 20% no mundo. Na América Latina, a alta foi de 26,6%.

Outra pesquisa, essa do Kantar Ibope Media, revelou que 98% dos usuários de internet no Brasil consomem algum tipo de streaming e também identificou que houve aumento no consumo de streaming de vídeo pago ou gratuito para 73% dos usuários de internet no país. Informações como essas fazem com que, a cada dia, uma nova plataforma seja lançada.

No Brasil, a discussão em relação à quantidade de streamings ficou ainda mais acalorada, principalmente, com o lançamento do Disney+, que estreia hoje no país. O serviço é mais uma plataforma sob demanda para entrar na já acirrada disputa por atenção do espectador que ocorre entre Netflix, Amazon Prime Vídeo, Globoplay e Apple TV+, só para citar alguns.

Assim como alguns serviços já vinham fazendo, a Disney+ chegou ao Brasil unindo as mãos com o Globoplay, oferecendo um pacote em conjunto como forma de atrair os espectadores. Anteriormente, a Netflix havia se unido com operadores de tevê por assinatura, como Net/Claro, que também tem parcerias com Telecine Play, Fox Play e Starzplay. A Amazon Prime Vídeo foi outra que buscou união como atrativo ao público. Ela se juntou ao Starzplay, serviço que ganhou nos últimos meses mais espaço no país.

Preços acessíveis também foram algumas estratégias de streamings internacionais para ganhar mais força no Brasil, como fizeram Amazon Prime Vídeo e Apple TV+. O valor mais baixo era uma forma de suprir os catálogos ainda menos recheados do que da Netflix, já consolidada com o público brasileiro.

E se você acha que a disputa chega ao fim neste ano com o lançamento Disney+ está enganado. Em breve, ainda não se sabe uma data certa, a HBO, em parceria com outros canais como Warner, lança o streaming HBO Max. O serviço promete interessar o público tendo como carro chefe as reuniões de Um maluco no pedaço e Friends, além, claro, de produções originais como um filme protagonizado por Meryl Streep e dirigido por Steven Soderbergh (Let them all talk). Ou seja, prepare o bolso!

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE