Rachadinhas

Para 58% dos brasileiros, Flávio Bolsonaro é culpado por 'rachadinhas'

Pesquisa Datafolha ouviu 2.016 brasileiros com 16 anos ou mais, por telefone, em todas as regiões do país. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos

Sarah Teófilo
postado em 02/01/2021 18:00 / atualizado em 02/01/2021 18:01
 (crédito: Beto Barata/Agencia Senado)
(crédito: Beto Barata/Agencia Senado)

Segundo pesquisa Datafolha, divulgada neste sábado (2/1), 58% dos brasileiros consideram o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), um dos filhos do presidente Jair Bolsonaro, culpado no caso das 'rachadinhas' na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro na época em que ele era deputado estadual. Conforme a pesquisa, divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo, 11% avaliam que o senador é inocente e 31% não souberam responder.

Entre as pessoas com ensino superior, renda familiar maior que dez salários mínimos ou aquelas que reprovam a gestão do presidente Jair Bolsonaro, a avaliação de que o senador tem culpa é maior. No caso dos brasileiros que aprovam a gestão Bolsonaro, ainda assim o percentual de pessoas que acreditam no envolvimento do senador no esquema é superior aos que acreditam em sua inocência: 37% contra 23%; 40% que não souberam responder.

Entre aqueles que declaram sempre confiar no presidente, há um empate técnico, com 30% das pessoas que acreditam que o senador é culpado e 29% que acreditam na sua inocência.

Para a pesquisa, foram ouvidos 2.016 brasileiros com 16 anos ou mais, por telefone, em todas as regiões do país entre os dias 8 e 10 de dezembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

O senador já foi denunciado pelo Ministério Público do Rio pelos crimes de organização criminosa, peculato, lavagem de dinheiro e apropriação indébita sob acusação de liderar o esquema de desvio de salário de servidores na Alerj.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE