CPI da Covid

"Não acho necessário prorrogar a CPI da Covid", diz senador Aziz

Presidente da comissão que investiga os rumos da pandemia no país afirmou, em entrevista ao CB.Poder desta segunda-feira (7/6), que pretende finalizar os trabalhos da CPI nas próximas seis semanas

Gabriela Chabalgoity*
postado em 07/06/2021 15:47 / atualizado em 07/06/2021 16:05
 (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)

Em entrevista ao CB.Poder — parceria do Correio com a TV Brasília — desta segunda-feira (7/6), o presidente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da covid-19 do Senado, Omar Aziz (PSD-AM), informou que pretende finalizar os trabalhos no prazo estabelecido para as comissões, ou seja, 90 dias.

“Espero que sejamos capazes de concluir isso nos três meses oferecidos a nós, não penso em prorrogar e não vejo necessidade para isso”, afirmou o presidente da CPI.

Em entrevista coletiva após a sessão da última quarta-feira (2), o senador Humberto Costa (PT-PE) havia dito ser necessário realizar uma boa investigação e preparar um bom relatório, independente do tempo. ”Poderemos prorrogar ou até nem utilizar o tempo todo”, declarou o parlamentar.

Sobre os próximos passos da comissão, Omar Aziz adiantou que o foco é o gabinete do ódio. “Nós vamos entrar na sexta semana e depois teremos mais 6 semanas. Até agora, esclarecemos coisas que nem a população brasileira e nem a imprensa sabiam. Já sabemos porque o Brasil não quis comprar as vacinas, sabemos da divulgação do tratamento precoce, imunidade de rebanho e investigamos o gabinete paralelo. Agora, precisamos analisar a propagação de mentiras”, disse o senador.

Aziz adiantou que os senadores irão focar na investigação das fake news, que propagou de forma irresponsável o tratamento precoce e a imunização de rebanho. “Vamos ter acesso ao que a CPI das Fake News já tem de informação, somado a outras investigações, para a CPI da Covid. Queremos entender as induções falsas a tirar a vida de pessoas”, declarou.

*Estagiária sob a supervisão de Andreia Castro

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE