Investigação

Prisão de Roberto Jefferson repercute entre políticos

Opositores comemoraram prisão de Roberto Jefferson. Por outro lado, apoiadores do governo classificaram a determinação do STF como "arbitrária"

Thays Martins
postado em 13/08/2021 12:12
 (crédito: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
(crédito: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)

A prisão do ex-deputado federal e presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, na manhã desta sexta-feira (13/8), gerou uma série de reações entre os políticos. Muitos comemoraram a decisão tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), enquanto os aliados do presidente Jair Bolsonaro criticaram a prisão.

O político, aliado do presidente Bolsonaro, foi preso preventivamente por determinação do ministro do STF Alexandre de Moraes por suspeita de envolvimento com uma milícia digital que ataca instituições democráticas e os ministros do Supremo.

O ex-candidato a presidência e coordenador do Movimento dos Trabalhadores sem Teto (MTST), Guilherme Boulos (Psol), disse que agora só falta a prisão do próprio presidente da República. "STF determina prisão de Roberto Jefferson por ataques às instituições democráticas. O comboio do golpismo vai indo pra onde merecem. Falta o chefe da quadrilha, Jair Bolsonaro", escreveu no Twitter.


O deputado federal e líder da minoria da Câmara, Marcelo Freixo (PSB/ RJ), pediu a prisão do filho mais novo de Bolsonaro, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos/RJ). O vereador é apontado como um dos responsáveis pelo Gabinete de Ódio, de onde sairiam os ataques a adversários do governo federal, pela CPMI das Fakes News.


O deputado estadual Arthur do Val (Patriota/SP) relembrou que Roberto Jefferson já defendeu intervenção militar, o que é crime no Brasil. 


A deputada Jandira Feghali (PCdoB/RJ) também celebrou a prisão. "Primeiras informações dizem que Roberto Jefferson foi preso!!! Grande dia!", escreveu. 

Por outro lado, os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro classificou a prisão como "arbitrária". O deputado estadual Gilberto Silva disse que a detenção do político é mais golpe a democracia.


O deputado estadual Douglas Garcia (PTB/SP) também prestou solidariedade ao político. "Mais uma prisão arbitrária no Brasil! Enquanto isto, o Senado, a única Casa que tem poder para barrar estes abusos está de joelhos ao sistema. O jurídico do PTB está tomando todas as medidas cabíveis nacionais e internacionais", escreveu.

O filho do presidente, Eduardo Bolsonaro (PSL/SP), também classificou a prisão como um ataque a democracia. "O que são atos antidemocráticos? milícia digital? Fake news? A democracia, essa balela de Estado democrático de direito, já não estão sob ameaça, estão sob ataque intenso mesmo. O Senado tem que enxergar quem joga fora das 4 linhas da constituição", disse.

A filha de Roberto Jefferson, a ex-deputada federal Cristhiane Brasil, cobrou uma ação do presidente Jair Bolsonaro. "Cadê o “ACABOU PORRA”? Estão prendendo os conservadores e o bonito não faz nada??? O próximo será ele! E se não for preso, não vai poder sair nas ruas já já! ACOOOOOORDA!!!", escreveu no Twitter.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE