CPI da Covid

CPI da Covid convoca Ana Cristina, ex-esposa de Bolsonaro, para depor

Contra ela pesam acusações de tráfico de influência e tentativa de interferência na escolha de cargos federais, a pedido de Marconny Faria, amigo próximo do filho 04, Jair Renan

Tainá Andrade
postado em 15/09/2021 16:22 / atualizado em 15/09/2021 16:22
 (crédito: Reprodução/Redes Sociais)
(crédito: Reprodução/Redes Sociais)

A convocação de Ana Cristina Valle, ex-esposa de Jair Bolsonaro e mãe de Jair Renan — o filho 04 —, foi aprovada pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19, extrapauta, nessa quinta-feira (15/9). A data do depoimento ainda não foi definida.

O pedido foi feito pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e votado durante o depoimento do lobista Marconny Faria. “Como se sabe, o senhor Marconny Faria atuou como lobista da empresa Precisa Medicamentos, investigada pela CPI da Pandemia em razão de irregularidades na negociação de compra da vacina Covaxin, de modo que a sua relação próxima com a ex-esposa do senhor Jair Bolsonaro deve ser amplamente esclarecida, com vistas a examinar potencial atuação ilícita de ambos no contexto da pandemia”, disse Vieira.

Os senadores querem questionar Ana Cristina sobre a sua relação com Marconny — apontado como lobista no contrato entre a Precisa Medicamentos e o Ministério da Saúde para a compra de R$ 1,6 bilhão da vacina Covaxin —, assim como a relação de proximidade do advogado com o seu filho com o presidente, Jair Renan.

Além disso, pesam contra ela acusações de que atuou para influenciar na escolha de cargos dentro do governo federal, a pedido do lobista, como foi constatado em conversa entregue pelo Ministério Público Federal do Pará (MPF) à CPI.

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE