CPI da Covid

Investigada na CPI, Prevent Senior ocultou mortes em estudo com cloroquina

Prevent Senior realizou um estudo, apoiado publicamente por Jair Bolsonaro, que resultou na morte de nove pessoas, e não duas, como foi informado

Estado de Minas
postado em 16/09/2021 15:47 / atualizado em 16/09/2021 15:47
 (crédito:  Divulgação/Prevent Senior)
(crédito: Divulgação/Prevent Senior)

A empresa Prevent Senior ocultou sete mortes de um estudo sobre cloroquina como medicamento contra a COVID-19, segundo informações da GloboNews. O diretor-executivo do plano de saúde, Pedro Benedito Batista, iria depor nesta quinta-feira (16/09), mas ele afirmou não ter tido tempo hábil para se organizar e viajar a Brasília.

A pesquisa da Prevent Senior, apoiada publicamente por Jair Bolsonaro (sem partido), presidente da República, e pelo governo federal, foi divulgada com somente duas mortes no relatório. Contudo, documentos obtidos pela GloboNews apontam que outras sete pessoas que participaram dos experimentos morreram por conta do coronavírus.

Ainda de acordo com a emissora de TV, a empresa seguiu com ações questionáveis. Uma delas seria a subnotificação de mortes pelo coronavírus nas suas unidades. A empresa se manifestou nas redes sociais e nega os fatos apresentados.

 

Nota emitida pela Prevent Senior sobre os fatos divulgados (foto: Divulgação/Prevent Senior) Os estudos aconteceram
Nota emitida pela Prevent Senior sobre os fatos divulgados (foto: Divulgação/Prevent Senior) Os estudos aconteceram (foto: Nota emitida pela Prevent Senior sobre os fatos divulgados (foto: Divulgação/Prevent Senior) Os estudos aconteceram)

Os estudos aconteceram entre março e abril de 2020. Medicamentos como cloroquina, ivermectina e azitromicina não têm comprovação científica contra a COVID-19, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE