Vaga no STF

Bolsonaro elogia Mendonça e faz nova defesa de ex-AGU para o Supremo

Presidente reforçou aceno à ala evangélica nesta quarta-feira (13/10) e disse que o ex-AGU é "extremamente capaz e inteligente"

Ingrid Soares
postado em 13/10/2021 12:47 / atualizado em 13/10/2021 12:47
 (crédito: Evaristo Sá/AFP
)
(crédito: Evaristo Sá/AFP )

O presidente Jair Bolsonaro repetiu nesta quarta-feira (13/10) defesa à indicação de André Mendonça para a vaga do ministro Marco Aurélio Mello no Supremo Tribunal Federal (STF). Durante entrega de títulos de propriedades rurais em Miracatu (SP), Bolsonaro teceu elogios ao ex-advogado-geral da União e reforçou aceno a ala evangélica em indicar um ministro "terrivelmente evangélico".

"Se Eldorado (SP) tem um presidente, se Deus quiser, brevemente, Miracatu terá um ministro do STF. À família de Miracatu, à família de André Mendonça, meus cumprimentos por esse homem extremamente capaz e inteligente. E dentro dos meus compromissos, um evangélico para o STF", disse.

No último dia 10, Bolsonaro responsabilizou o presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), por travar a sabatina de Mendonça. "Davi Alcolumbre teve tudo o que foi possível por dois anos comigo e, de repente, ele não quer o André Mendonça".

"Quem pode não querer é o plenário do Senado, não ele [Alcolumbre].O que ele está fazendo não se faz, porque a indicação é minha", completou.

O chefe do Executivo ainda destacou na data que articulou a favor de Alcolumbre sempre que possível. "Eu ajudei nas eleições da Câmara, depois ele pediu apoio para eleger o [Rodrigo] Pacheco e eu ajudei. Se ele quiser indicar alguém, ele pode indicar dois se ele se candidatar a presidente ano que vem. No primeiro semestre de 2023 tem duas vagas, e ele [o presidente eleito] indica dois", alfinetou.

No dia 11, o pastor Silas Malafaia, aliado próximo do presidente, partiu para cima dos ministros Ciro Nogueira, da Casa Civil; Flávia Arruda, da Secretaria de Governo; e Fábio Faria, das Comunicações. O líder evangélico divulgou vídeo nas redes sociais no qual cobrou o trio ao fazer a defesa veemente de Mendonça ao Supremo. "É inacreditável que ministros de Bolsonaro, cujos gabinetes ficam no palácio do governo e são ministros políticos, são contra a indicação de André Mendonça para o STF", pontuou.

Já no dia 8, Bolsonaro afirmou que a indicação de André Mendonça ao Supremo era um "problema sério". Isso porque, segundo ele, "tem corrente" que não quer o ex-AGU no cargo. O presidente apontou que recebe "recado" de interessados na indicação da cadeira da Corte e que oferecem, em troca, favores ao governo, como a "resolução da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid".

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE