PEDALADAS FISCAIS

Dilma adotou "política de desoneração exagerada", critica Lula

Ao ser questionado sobre pedaladas fiscais, ex-presidente afirmou que Dilma cometeu excesso de desoneração. Segundo ele, contudo, quando ela tentou consertar foi impedida de governar por Eduardo Cunha

Cristiane Noberto
postado em 14/10/2021 12:39 / atualizado em 14/10/2021 12:40
 (crédito: Ricardo Stuckert/Instituo Lula - 19/3/17)
(crédito: Ricardo Stuckert/Instituo Lula - 19/3/17)

Segundo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, “o governo da Dilma (Rousseff) fez coisas fantásticas, mas em 2014 adotou uma política de exoneração, na minha opinião, exagerada”. A avaliação do político foi feita na nesta quinta-feira (14/10), em entrevista à Rádio Grande FM de Dourados (MS).

“Depois ela tentou corrigir, e aí já tinha uma figura chamada Eduardo Cunha, que, em vez de ajudar, como (Michel) Temer fez com Fernando Henrique (Cardoso), em 1999 — que ajudou a fazer as mudanças no Congresso para melhorar a governabilidade —, o Eduardo Cunha começou a lançar pautas bombas para impedir a Dilma de governar”, afirmou.

Para o político, a ex-presidente não teve tempo para corrigir o excesso de desoneração e, quando ela percebeu que deveria fazer uma correção, o Congresso não aceitou. A partir daí, a petista passou a viver um “inferno astral”, considera. “De um lado o Congresso reprovando as coisas que ela mandava. Do outro lado, o Eduardo Cunha trabalhando o impeachment. Não teve tempo para ser consertado e aí veio o processo de impeachment, que foi um desastre para o Brasil e é até hoje”, disse.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE