protestos na europa

Bolsonaro diz que jato d'água 'matou piolho' de manifestantes na Itália

O presidente afirmou que as manifestações não tiveram grande importância e que ele preferiu evitar

Estado de Minas
postado em 04/11/2021 23:14 / atualizado em 04/11/2021 23:16
 (crédito: Reprodução/YouTube)
(crédito: Reprodução/YouTube)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) comentou nesta quinta-feira (4/11), durante live semanal, sobre os protestos contra o governo durante a passagem na Itália. O mandatário recebeu o título de cidadão honorário na cidade onde nasceu seu bisavô e a visita gerou confronto de manifestantes contra a polícia.

A polícia isolou alguns quarteirões para impedir o acesso das pessoas à igreja. Mas, durante a tarde, na grande praça Prado do Vale, houve confusão, e policiais jogaram jatos de água contra os manifestantes que criticavam a presença de Bolsonaro. Uma pessoa acabou presa.

Segundo Bolsonaro, as manifestações não tiveram grande importância. “Saí em Roma por três vezes e não tive nenhum incidente, nenhum. Na primeira vez que cheguei no hotel tinha uma meia dúzia [de pessoas] lá gritando, umas 500 pessoas gritando contra a gente e depois daquele momento da gritaria eu saí pelos fundos do hotel para ninguém sair gritando atrás de mim”, afirmou.

Ele ainda comentou que viu uma bandeira do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). “Não tive nenhum contato com manifestantes, tinha um grupo com bandeira do MST. Vi pelas imagens que chegou a polícia, o jato d’água deu um banho na galera, matou o piolho e resolveu o assunto”, disse.

O chefe do Executivo brasileiro chegou à Itália na última sexta-feira (29/10) para participar da cúpula do G20.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE