GOVERNO

Bolsonaro sobre ideologia de gênero nas escolas: "Não admitimos"

O presidente também voltou a defender o armamento da população e disse que, hoje, está muito mais fácil de comprar os itens

Ingrid Soares
postado em 30/03/2022 18:26 / atualizado em 30/03/2022 18:29
 (crédito: Reprodução/YouTube)
(crédito: Reprodução/YouTube)

Em aceno à agenda de costumes, o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou, nesta quarta-feira (30/3), que a "ideologia de gênero" nas escolas é "inadmissível" e "inaceitável". A declaração ocorreu durante a cerimônia 5G no Agro e entregas do governo na Baixa Grande do Ribeiro, no Piauí. "Uma questão muito importante para todos nós: quase todo mundo aqui tem filhos e netos. E nós queremos que nossos filhos e netos sigam a linha das nossas famílias. Que deles seja afastado da sala de aula a ideologia de gênero. Não podemos admitir que não se nasce homem ou mulher e se decida o sexo lá na frente. Isso é inadmissível. Isso não pode ser aceito por qualquer um de nós", alegou.

"Aceitamos o comportamento de quem quer que seja depois de uma certa idade, cada um vá ser feliz da maneira que ele achar melhor. Mas esse tipo de ideologia nas escolas, nós não podemos e nós não admitimos", bradou.

Bolsonaro também voltou a defender o armamento da população e disse que hoje está muito mais fácil de comprar os itens. "Nós flexibilizamos o estatuto do armamento. Hoje, está muito fácil ou menos difícil comprar armas. O pessoal que é CAC tem direito a comprar fuzil no meu governo. Nós entendemos que em primeiro lugar, a segurança de vocês parte de vocês mesmos."

Bolsonaro ainda se referiu indiretamente ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chamando-o de "bandido maior de 9 dedos". "Não podemos admitir que apenas bandidos tenham armas em nosso país, em especial bandidos que gostam de roubar celular de mulher que é defendido por aquele bandido maior que não tem um de dedo na mão", disse sendo ovacionado ao som de "mito".

No entanto, negou que estivesse fazendo campanha política. “Nós conhecemos na pele o que foi feito nesses últimos 14 anos em nosso Brasil. Não queremos isso de volta. Ninguém está aqui fazendo campanha política, estamos botando na mesa o que aconteceu lá atrás, o que acontece nos nossos 3 anos de governo."

Bolsonaro repetiu discurso de mais cedo, onde fez críticas veladas a ministros do STF e do TSE e defendeu a contagem de votos nas eleições. "Em Brasília, poucas pessoas podem muito, mas nenhuma dessas pessoas pode tudo. Dizer a vocês que teremos, sim, eleições limpas por ocasião do mês de outubro do corrente ano. Não podemos admitir que 3 ou 4 pessoas decidam ou definam como venha a ser essas eleições. A alma da democracia é o voto e a contagem dele faz parte dessa alma."

O presidente ainda voltou a dizer que o país vive um momento de briga, mas não é da esquerda contra a direta, mas sim do bem contra o mal. "E o bem vai vencer, como sempre venceu." "Essa minoria que ousa querer desvirtuar a nossa formação, as nossas tradições e a nossa religião, vai ter ter que esperar no mínimo uns 500 anos para atingir o seu objetivo", defendeu.

O ministro Ciro Nogueira também discursou atacando o PT e disse que o Nordeste "não tem dono". "O Nordeste é dono do seu destino. Essa é a diferença entre nós e eles. Vocês vão querer alguém que se diz pai dos pobres, mas que na verdade é pai das empreiteiras? Eu tenho certeza que não". "Nordeste livre, Bolsonaro presidente”, emendou.

Bolsonaro também afagou os nordestinos como uma tentativa de proximidade com a região. "Um terço dos nossos ministros são nordestinos e foram escolhidos pela sua capacidade. E a capacidade do nordestino não é só reconhecida nos quatro cantos do Brasil, bem como fora do nosso país", concluiu.


Nordeste

Mais cedo, em Cajupiranga no Rio Grande do Norte, onde participou da inauguração da estação de VLT e voltou a se referir a Lula, afirmando que o Nordeste “não é subordinado a uma ideologia”. "Essa minha passagem pelo Nordeste mais uma vez, me traz alegria no coração. Parte dessa população, região, é tida como se estivesse subordinada a uma ideologia. Isso não é verdade, vocês cada vez mais conquistam a liberdade. O Nordeste é uma região exatamente igual às quatro outras regiões do nosso país. Sem discriminação, vocês cada vez mais contribuem para o nosso país, basta lembrar que a cidade que tem mais nordestinos está na região Sudeste, a nossa cidade de São Paulo."

Bolsonaro também falou sobre as ações do governo que levaram água para o local. "Água para o Nordeste é uma realidade. Há décadas de obras paradas, inconclusas, usadas apenas para ganhar carisma e voto do nordestino. Quando se fala em corrupção no Brasil só o que foi roubado da Petrobras daria para fazer no mínimo 60 transposições do São Francisco." "Estamos num país risco, mas até pouco tempo, pessimamente administrado."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE