Funcionalismo

Policiais federais pressionam por reajuste e continuam mobilização

Entidades da categoria não descartam possibilidade de paralisação. Servidores buscam reajuste acima dos 5%

Luana Patriolino
postado em 19/04/2022 17:06 / atualizado em 19/04/2022 17:06
 (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)

Os policiais federais seguem em busca de diálogo com o governo para garantir o reajuste superior aos 5% previstos a todos os servidores públicos. Em reunião virtual com 27 sindicatos, nesta terça-feira (19/4), os representantes das entidades de classe afirmaram que podem decidir sobre novos rumos para o movimento a qualquer momento. A paralisação das atividades não é descartada.

Segundo o presidente da Federação Nacional dos Policiais (Fenapef), Marcus Firme, a categoria está unida. “A ideia é que, em cada estado, tenhamos um dia de protesto, possivelmente na próxima quinta-feira (28), para demonstrar nossa indignação com a forma como os policiais federais estão sendo tratados”, explica Firme.

A mobilização continua por conta da falta de resultado, após as reuniões com o ministro da Justiça, Anderson Torres, e no Palácio do Planalto, ontem (18/4). Os servidores estão insatisfeitos com as promessas não cumpridas pelo governo e pressionam por um aumento superior aos 5% previstos a todos os servidores públicos federais.

“A reunião dos parlamentares da bancada da segurança pública com o governo federal não trouxe avanços positivos e os policiais querem uma proposta concreta. Até agora, o que temos são promessas não cumpridas e notícias divulgadas pela mídia”, diz Marcus Firme.

Pressão das entidades

Os representantes se reuniram ontem com o ministro da Justiça, Anderson Torres, e seguiram para o Palácio do Planalto para discutir sobre o reajuste para a categoria.

Em nota conjunta, foi relatado o “sentimento de surpresa e descontentamento” pelo reajuste linear para o serviço público federal. Eles afirmaram que não descartam a possibilidade de paralisação dos serviços. Segundo as entidades, Anderson Torres, que também é delegado da Polícia Federal, afirmou que existe interesse em trabalhar a parcela da recomposição inflacionária para todo o serviço público.

No entanto, para a categoria, “tal ação não obsta o andamento da reestruturação das polícias da União e destacam que o projeto de recomposição inflacionária é diferente da proposta de reestruturação”.

“Mais ainda, quando os valores citados em diferentes meios exigirá a apresentação de novo Projeto de Lei. Lembraram também que (o montante de) R$ 1,7 bilhão destinado à reestruturação das polícias da União consta da LOA 2022”, diz o posicionamento das entidades.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE