ELEIÇÕES

Lula faz pausa na pré-campanha para se casar em São Paulo

Para o casamento, os noivos optaram por um evento reduzido, com cerca de 150 convidados. Entre eles estão a ex-presidente Dilma Rousseff

Vinicius Doria
Victor Correia
postado em 17/05/2022 06:00
 (crédito: REDES SOCIAIS/REPRODUÇÃO)
(crédito: REDES SOCIAIS/REPRODUÇÃO)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) faz, nesta semana, uma breve pausa em sua pré-campanha para casar-se com a socióloga Rosângela da Silva, a Janja. O casamento ocorre amanhã, em uma casa de festas de São Paulo. A agenda política do petista deve ser retomada na semana que vem.

Para o casamento, os noivos optaram por um evento reduzido, com cerca de 150 convidados. Entre eles estão a ex-presidente Dilma Rousseff; a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann; e o pré-candidato ao governo de São Paulo Fernando Haddad; o ex-governador do Piauí Wellington Dias; a deputada Benedita da Silva (RJ); e o senador Jaques Wagner (BA). Também é esperada a presença do futuro candidato a vice de Lula, o ex-governador Geraldo Alckmin (PSB) — que, até lá, deve estar recuperado da covid-19. Artistas também foram convidados, como os cantores Chico Buarque e Gilberto Gil.

A lista foi definida exclusivamente por Lula e Janja, e não houve envolvimento da equipe de campanha. Devido ao número limitado de convites, muitos aliados ficaram fora, e membros do PT receberam pedidos de inclusão na relação. Segundo informações de bastidores, porém, "isso foi resolvido por Lula", que deixou claro que o evento seria reduzido.

Segurança

Há ainda a preocupação com a segurança do ex-presidente, diante do risco constante de ataques de opositores. O uso de celulares pelos funcionários será restrito, e o esquema de segurança na casa de festas, reforçado.

O momento é bastante esperado por parte da campanha. Em seus discursos, Lula comenta sobre o casamento, sob o argumento de que o importante passo mostra a confiança dele no futuro do país. Além disso, Janja tem um papel marcado para a corrida ao Planalto: ajudar a atrair o voto feminino.

Conforme disse ao Correio o ex-governador Wellington Dias — que também faz parte da campanha do ex-presidente —, "ela já vem acompanhando Lula em suas viagens e vai, sim, estar ao seu lado, sempre que possível, durante toda a caminhada". "Tem sido muito importante para ele", enfatizou.

Pelo Twitter, ontem, Janja afirmou: "Vamos que vamos, que esta semana será repleta de esperança e de muito amor".

Segundo fontes, na retomada da pré-campanha, a viagem para o Sul, marcada originalmente para a próxima segunda-feira, foi adiada para a quarta, dia 25. A caravana visitará Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Fora isso, o petista está organizando, para o início da semana que vem, reuniões com os presidentes dos partidos que compõem a coligação com o PT: PV, PCdoB, PSB, PSol, Rede Sustentabilidade e Solidariedade. O petista lidera as pesquisas de intenção de voto, seguido pelo presidente Jair Bolsonaro (PL).

CONTINUE LENDO SOBRE