Rio de Janeiro

Lula: "Rio não pode aparecer nos jornais apenas nas páginas policiais"

O presidente disse ainda que o governo está empenhado em diminuir a força do crime organizado e das milícias no estado

Presidente Lula durante a cerimônia de inauguração do IMPA Tech e início das aulas da 1ª turma de Bacharelado em Matemática da Tecnologia e Inovação, na sede do IMPA Tech, no Rio -  (crédito: Ricardo Stuckert/PR)
Presidente Lula durante a cerimônia de inauguração do IMPA Tech e início das aulas da 1ª turma de Bacharelado em Matemática da Tecnologia e Inovação, na sede do IMPA Tech, no Rio - (crédito: Ricardo Stuckert/PR)
postado em 02/04/2024 16:35 / atualizado em 02/04/2024 16:38

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira (2/4) que o Rio de Janeiro não pode aparecer nos jornais apenas por motivos de violência. A declaração ocorreu durante anúncio do início de obras de dragagem do Porto de Niterói. O petista disse ainda que o governo está empenhado em diminuir a força do crime organizado e das milícias no estado. Também hoje, Lula participou da cerimônia de inauguração do IMPA Tech e início das aulas da 1ª turma de Bacharelado em Matemática da Tecnologia e Inovação, na sede do IMPA Tech, no Rio.

“Niterói pode contar comigo, pode contar com o governo federal porque nós temos a obrigação de ajudar o Rio de Janeiro. O RJ é um estado muito importante pro Brasil e não pode aparecer nos jornais apenas nas páginas policiais. É importante que o Rio de Janeiro apareça nas páginas de jornais com a cultura, com emprego, com a indústria naval, com o petróleo, com a indústria pesqueira e com muita gente vivendo às custas do seu trabalho. E que a gente possa diminuir a força do crime organizado nesse estado, das milícias, porque o povo do Rio de Janeiro é um povo de bem e é um povo trabalhador. Por isso, prefeito, pode contar com o governo federal que nós estaremos dispostos a fazer o que for necessário”, apontou. Também participaram do evento o governador do Rio de Janeiro, Claudio Castro, e os ministros Silvio Costa Filho (Portos e Aeroportos) e Márcio Macêdo (Secretaria-Geral da Presidência) e o ministro substituto Carlos Mello (Pesca e Aquicultura).

Dragagem

A obra de dragagem soma R$ 157 milhões em investimentos, sendo R$ 137 milhões provenientes da Prefeitura de Niterói e R$ 20 milhões da Companhia Docas do Rio de Janeiro, empresa pública ligada ao governo.

O desassoreamento de trecho da Baía de Guanabara, entre a Ilha da Conceição e a Ponte Rio-Niterói, irá aumentar de 7 para 11 metros a profundidade (calado) do local, o que permitirá o aumento da função operacional dos estaleiros, o estímulo a novas construções de embarcações e a movimentação do setor de reparos e offshore.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação