Publicidade

Correio Braziliense

Dinheiro volta, diz secretário de cultura sobre investimento para carnaval

Bartolomeu Rodrigues afirma que governo não está dando dinheiro, mas investindo: ''Economia movimenta, não é gasto''


postado em 18/02/2020 15:12 / atualizado em 18/02/2020 15:13

Bartolomeu Rodrigues garantiu ainda empenho para segurança durantes festividades(foto: Reprodução)
Bartolomeu Rodrigues garantiu ainda empenho para segurança durantes festividades (foto: Reprodução)
Diante das polêmicas envolvendo o carnaval do Distrito Federal, o secretário de Cultura e Economia Criativa defendeu a festa popular da capital. Em entrevista ao CB.Poder — parceria do Correio com a TV Brasília --, Bartolomeu Rodrigues disse, por exemplo, que o governo está empenhado em garantir a segurança da população e que o dinheiro público investido acaba voltando.

“Vejo em torno do carnaval os ambulantes, as barracas, os hotéis com bom fluxo de turistas -- tudo isso movimenta a economia. O governo não está dando dinheiro, ele volta. Se temos mil barracas, temos pelo menos mil pessoas trabalhando, mil famílias com uma renda. Então não é gasto”, explicou Bartolomeu. 

O secretário também lamentou os casos de violência no pré-carnaval brasiliense, como a morte de Matheus Barbosa, 18 anos, que foi atingido por dois golpes de faca durante bloco “Quem chupou vai chupar mais”, há 10 dias. Porém, ressaltou que crimes como esse são episódios lamentáveis ocorridos em todos os estados.

“Vimos em outras regiões até arma de fogo nas festas. Mas, no último fim de semana, tivemos somente acidentes previstos. Estamos empenhados para garantir a segurança com uso de tecnologia, reconhecimento facial, drones e diálogo entre os órgãos”, disse o representante da pasta.

Carnaval e aniversário de Brasília

Outro tema comentado na entrevista foi o anúncio de atrações nacionais para o carnaval brasiliense, que, dias depois, acabou sendo cancelado pela secretaria. “Com todo respeito aos cantores e bandas nacionais, chegamos à conclusão que aquele não era o modelo adequado. Não reduzimos o carnaval, mas ao invés de Gloria Groove, temos uma Dhi Ribeiro, que é artista da cidade e tem muito o que mostrar”, avalia.

Um dos motivos para essa decisão de suspender a programação inicial é o aniversário de Brasília. “Nesses 60 anos da capital, podemos fazer algo grandioso. Estamos pensando em eventos não só para o dia 21 de abril, mas para o ano todo”, adiantou. 
 
Confira a entrevista na íntegra:
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade