Publicidade

Correio Braziliense

Ato heróico, diz prima de homem que morreu após salvar criança de incêndio

O mestre de obras Daniel Pereira conseguiu tirar um dos meninos do imóvel em chamas, mas teve 95% do corpo queimado e não resistiu aos ferimentos


postado em 26/02/2020 16:19 / atualizado em 26/02/2020 16:47

Velório de Daniel acontece na Capela 8 do cemitério Campo da Esperança(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Velório de Daniel acontece na Capela 8 do cemitério Campo da Esperança (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Dezenas de pessoas se reuniram na Capela 8 do cemitério Campo da Esperança, na tarde desta quarta-feira (26/2), para prestar as últimas homenagens a Daniel Pereira, 35 anos, vítima de um incêndio em Samambaia. O incidente aconteceu na noite de domingo (23/2) e deixou três pessoas mortas

Herói, trabalhador e amoroso foram alguns dos adjetivos usados pelos familiares para se referir ao mestre de obras. Ele e a companheira, Romária Pereira da Silva, 31, haviam ido a uma padaria e, ao voltarem, encontraram o imóvel em chamas. Daniel entrou e conseguiu resgatar um dos três enteados com vida. No entanto, o menino acabou morrendo nesta quarta-feira (26/2).

O mestre de obras saiu com 95% do corpo queimado. Uma das crianças morreu na hora. A terceira, uma menina de 6 meses salva por um vizinho, segue internada no Hospital de Base.  

"O que ele fez foi um ato de heroísmo. Foi um guerreiro", disse Luciene Lima, prima de Daniel. "A família está devastada. Mas queremos nos despedir como ele merece", completa. 

Os amigos e familiares de Daniel se emocionaram, enquanto entoavam canções religiosas. "Se as tristezas desta vida quiserem te sufocar / Segura na mão de Deus e vai", dizia um dos trechos da música.

O velório começou às 15h e o sepultamento será às 17h. Familiares lamentaram a morte precoce de Daniel e as saudades que ele deixará.

"Ele é uma pessoa que levava alegria a todo lugar que chegava. Era uma pessoa excelente, de fácil convívio. Todos os dias, eu conversava com ele por chamada de vídeo. E ele ficava na rede, com o Adryan e a Kyara no colo. A gente via o amor que ele tinha pelos filhos da Romária. Tanto amor que chegou a dar a vida por eles", contou José André da Silva, 43, tio de Romária.

Ela chegou para a despedida do marido no momento do sepultamento. Aos prantos, acompanhou o caixão. "Ela está em estado de choque. Só Deus para ajudá-la a se levantar todos os dias", completou José André.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade