Acidente

Minas: dois adultos morrem e uma criança fica ferida em cachoeira

Acidente foi no sul do estado, entre os municípios de Campestre e Poço Fundo. Segundo testemunhas, os três caíram e não havia sinal de celular para pedir socorro

Jéssica Gotlib
postado em 15/08/2021 21:04
Local é popular entre moradores que buscam lazer e proximidade com a natureza, mas acumula reclamações sobre segurança -  (crédito: Tássilo Campos/Facebook/Rerpdoução)
Local é popular entre moradores que buscam lazer e proximidade com a natureza, mas acumula reclamações sobre segurança - (crédito: Tássilo Campos/Facebook/Rerpdoução)

Dois adultos e uma criança sofreram um grave acidente em uma cachoeira neste domingo (15/8). De acordo com relatos das testemunhas, eles estavam no alto da queda d’água quando se desequilibraram e caíram no poço da cachoeira, que fica entre os municípios de Campestre e Poço Fundo, no sul de Minas Gerais. Tássilo Campos, morador da região, estava no local e compartilhou um relato do acidente nas redes sociais.

“Infelizmente presenciamos uma tragédia hoje na cachoeira grande em Poço Fundo, onde 3 pessoas caíram do alto da queda, ajudamos dentro possível mas tivemos que andar 8km para conseguir um sinal de internet e celular. Fica aqui um pedido para as autoridades de Poço Fundo tanto na segurança da cachoeira quanto uma torre de celular para o bairro cachoeira grande”, diz o texto publicado por ele.

O Corpo de Bombeiros chegou até a cachoeira depois que as testemunhas conseguiram se comunicar com a emergência. Entretanto, os dois adultos estavam sem sinais vitais. A criança, de 11 anos, foi socorrida e levada ao hospital. Segundo a corporação, o estado dela é estável.

De acordo com os relatos nas redes sociais, o local, conhecido como ‘Cachoeira Grande’, é bastante visitado para ecoturismo e atividades de lazer ao ar livre. Apesar disso, não há sinalização avisando sobre os riscos causados por pedras escorregadias ou zonas impróprias para mergulho, dizem os internautas. Em um dos comentários, há inclusive o relato de que um grupo de rapel deixou de frequentar a região por conta do perigo.

“Um lugar muito bonito, mas ao mesmo tempo perigoso. Fazíamos muito rapel lá, são pedras muito escorregadias e uma queda muito íngreme. É um local de difícil acesso e resgate em caso de acidente. Meus sentimentos aos familiares e que fique de alerta à todos que vão até lá visitar a cachoeira”, escreveu Gustavo Nery.

O Correio tentou contato com as prefeituras de Campestre e Poço Fundo, mas não obteve retorno até o momento da publicação deste texto.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE