Pandemia

Restrições contra covid chegam ao fim em SP nesta segunda-feira

Após mais de 600 dias, Estado liberou funcionamento de todos estabelecimentos e eventos sem restrição de público e horário. Máscaras e comprovante de vacinação ainda obrigatórios

Bernardo Lima*
postado em 01/11/2021 18:23
 (crédito: Paulo Pinto/Fotos Publicas)
(crédito: Paulo Pinto/Fotos Publicas)

A partir desta segunda-feira (1º/11), chegam ao fim as medidas restritivas impostas pelo governo de São Paulo para conter o avanço do coronavírus. Agora estão liberados shows com público em pé, pistas de dança e a volta de 100% dos públicos ao estádio de futebol - os últimos eventos que ainda estavam proibidos, após quase 600 dias de limitações no estado.

Com a retomada, todos os estabelecimentos do estado podem funcionar sem restrição de público e horário. Cada município poderá definir se irá seguir a decisão do governo. A capital, por exemplo, já anunciou que vai aderir às orientações do governo e liberar todos os eventos.

O uso de máscaras e “passaporte de vacina” - apresentação do comprovante de vacina em eventos - continua obrigatório em todo o estado.

Essa retomada acontece no momento em que São Paulo ultrapassa a marca de 70 milhões de doses aplicadas de vacinas contra a covid-19. Pelo menos 87,7% da população adulta paulistana já foi vacinada com a segunda dose, segundo o vacinômetro do governo paulista.

Foram estabelecidas os seguintes protocolos sanitários para o funcionamento de eventos com público:

  • Uso obrigatório de máscara em qualquer ambiente;
  • Respeito aos protocolos de higiene;
  • 100% da população adulta com acesso à 1ª dose da vacina.

Liberação do uso de máscaras

Já no Distrito Federal, o uso de máscaras em locais abertos não será mais obrigatório a partir desta quarta-feira (03/10). Na cidade do Rio de Janeiro, o prefeito Eduardo Paes, também liberou o uso de máscaras em lugares abertos, após o governador Cláudio Castro (PL/RJ) sancionar lei que autoriza o governo fluminense e prefeituras a derrubar a obrigatoriedade da máscara.

Para o infectologista do Hospital Brasília, André Bon, a flexibilização do uso de máscaras em locais abertos não é uma ideia absurda, considerando o momento epidemiológico que o país vive atualmente “Seria justo pensar que talvez fosse ser a última medida a se retirar. Mas não é absurdo pensar que a gente possa considerar a redução do uso de máscaras em ambientes abertos com o número de casos caindo”.

No entanto, ele alerta que cada caso é diferente. É necessário observar a evolução do número de casos novos e proporção de pacientes imunizados em uma região, para que as medidas restritivas cabíveis sejam implementadas. “Isso que vai fazer com que a gente possa fazer uma recomendação segura e adequada em relação a utilização do uso de máscaras e outras restrições.”, explica o infectologista.

O especialista ainda reforça a importância do uso das máscaras no combate ao coronavírus “É muito importante que as máscaras respiratórias ainda sejam utilizadas, principalmente em ambientes fechados e grandes aglomerações em locais abertos”, afirma o infectologista do Hospital Brasília.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE