CRIME

Mais um suspeito de matar, esquartejar e atear fogo em morador do Guará é capturado

Lucas Rodrigues Miranda, conhecido como Luquinhas e Sombra, era considerado foragido desde 4 de agosto, quando ocorreu a Operação Desmancha. Ele estava escondido em Luziânia, no Entorno do DF. A Polícia Civil segue a busca pelos demais três foragidos

Sarah Peres
postado em 01/09/2020 22:14 / atualizado em 01/09/2020 22:18
 (foto: Redes Sociais)
(foto: Redes Sociais)

Mais um envolvido no assassinato do morador do Guará Anderson Rocha Alves, de 35 anos, foi capturado por agentes da 4ª Delegacia de Polícia (Guará). Lucas Rodrigues Miranda, conhecido como Luquinhas e Sombra, de 18 anos, integrante da organização criminosa voltada ao tráfico de drogas e que é suspeita do crime, foi preso preventivamente nesta terça-feira (1º/9). A Polícia Civil pede denúncias pelo 197 sobre o paradeiro dos demais três acusados.

Lucas foi encontrado por meio de denúncias anônimas, escondido no município de Luziânia, no Entorno, distante cerca de 50 quilômetros do centro de Brasília. Anderson desapareceu em 19 de junho, mesmo dia em que teria sido morto por sete homens, que dominavam o ponto de tráfico da “Biqueira”, próximo à QI 9 do Guará, na área verde entre a linha do trem que corta a cidade e o ParkShopping.

Segundo o delegado João de Ataliba, adjunto da 4ª DP, Sombra era um dos principais parceiros do líder da organização criminosa, Carlos Alberto Lacerda Alves, conhecido como Mancha. “O Luquinhas é filho do ex-dono da boca de fumo, que era parceiro do Mancha. Por isso, também atua em parceria com o líder da organização, o Mancha, que está foragido e teria sido o mandante do homicídio de Anderson”, explica.

Mancha teria ordenado a execução de Anderson com o objetivo de transformá-lo em um “exemplo” a demais usuários da região, porque a vítima pagou uma dívida de drogas com dinheiro falso. Apuração da unidade policial confirmou a motivação, assim como identificou que a vítima adquiria e revendia notas fraudulentas.

Os suspeitos executaram Anderson na boca de fumo e, depois, atearam fogo no corpo e esquartejaram. Os restos mortais foram descartados em bueiros do Guará e, em 23 de julho, apareceram na Estação de Tratamento da Caesb, localizada na Avenida das Nações. Peritos do Instituto de Pesquisa DNA Forense (IPDNA) foram responsáveis por identificar que as partes do corpo eram do morador do Guará.

Buscas pelos foragidos

A 4ª DP segue em busca dos três foragidos pelo homicídio qualificado: o mandante do assassinato, o Mancha; Diego Queiroz Soares, conhecido como Gordinho ou DG; e Jadson de Santana Santos, conhecido como Jackson ou Tochinha — que está jurado de morte pelo grupo por ter delatado o crime a conhecidos de Anderson. Quem tiver quaisquer informações sobre os acusados pode denunciar anonimamente.

  • Diego Queiroz Soares, conhecido como Gordinho ou DG, teria sido o responsável por executar Anderson Rocha
    Diego Queiroz Soares, conhecido como Gordinho ou DG, teria sido o responsável por executar Anderson Rocha PCDF
  • Jadson de Santana Santos, conhecido como Jackson ou Tochinha, também é um dos envolvidos que está foragido. Ele teria ateado fogo e esquartejado o corpo da vítima
    Jadson de Santana Santos, conhecido como Jackson ou Tochinha, também é um dos envolvidos que está foragido. Ele teria ateado fogo e esquartejado o corpo da vítima PCDF
  • Carlos Alberto Lacerda Alves, conhecido como Mancha, é o líder da organização e apontado como o mandante do homicídio
    Carlos Alberto Lacerda Alves, conhecido como Mancha, é o líder da organização e apontado como o mandante do homicídio PCDF

“Pedimos ajuda da comunidade para chegarmos aos três envolvidos no homicídio do Anderson. Um deles é o Macha, que é o dono da boca e explora o tráfico de drogas. O outro é o Diego, que teria sido o responsável por ter executado a vítima. O Tochinha também participou no crime, por ter esquartejado, queimado e ocultado o cadáver”, esclarece o delegado João de Ataliba.

Denuncie

Telefones: 197 ou (61) 98626-1197
E-mail: denuncia197@pcdf.df.gov.br;
Denúncia On-line: http://www.pcdf.df.gov.br/servicos/197

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação