Crimes

Estrutural será Área de Segurança Prioritária (ASP)

Por três meses, a região receberá ações integradas de prevenção à violência, além da elaboração de um mapeamento das vulnerabilidades sociais da população

Correio Braziliense
postado em 22/06/2021 20:38
Governador Ibaneis Rocha durante cerimônia de abertura da Área de Segurança Prioritária (ASP) -  (crédito: Foto Renato AlvesAgência Brasília.)
Governador Ibaneis Rocha durante cerimônia de abertura da Área de Segurança Prioritária (ASP) - (crédito: Foto Renato AlvesAgência Brasília.)

O governador Ibaneis Rocha (MDB) participou na tarde desta terça-feira (22/6) do evento de implementação da Área de Segurança Prioritária (ASP) na Cidade Estrutural. A cerimônia aconteceu na Praça da Juventude, na Estrutural.

A instalação das áreas é projeto da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) para reduzir os índices criminais de forma equilibrada no Distrito Federal. A estratégia integra o programa “DF mais seguro”, do Governo do Distrito Federal (GDF).

Por três meses, a cidade Estrutural será o local da Área de Segurança Prioritária (ASP) e receberá ações integradas de prevenção à violência. A escolha da localidade foi baseada em um levantamento de informações e análise criminal.

Diversas ações de atendimento ao público e promoção de cidadania serão realizadas durante a ASP na Estrutural. A programação, definida pela Subsecretaria de Prevenção à Criminalidade (Suprec), da SSP, foi dividida em três blocos: atendimento à população, projetos sociais e ocupação de espaços. Cada um dos eixos terá duração de cerca de um mês

A definição do local é feita a partir de metas, como integrar microrregião (locais com pequena extensão territorial), apresentar indicadores criminais altos em relação à média do Distrito Federal e integrar regiões com menores dados populacionais. Com isso, é feito um mapeamento detalhado de vulnerabilidades sociais, desordens, falta de iluminação, carcaças de veículos abandonados e mato alto – um raio-X da criminalidade.

Junto às forças de segurança, é feita uma reavaliação das rotinas de emprego operacional, bem como da estrutura e funcionamento de delegacias e batalhões. Uma vez realizado o diagnóstico, é elaborado um plano de ação integrada com a participação de diversos órgãos do governo, como Casa Civil, administrações regionais, secretarias de Obras e da Mulher, CEB, DF Legal e forças de segurança pública

A ASP também prevê ações de prevenção à violência, com atividades culturais, cursos, palestras, expedição de carteiras de identidade e de trabalho, atendimento jurídico e psicossocial e serviços relacionados a veículos e habilitação.

Com informações da Agência Brasília


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE