Caso Lázaro

Em buscas por Lázaro, policiais param ônibus, carros e caminhões

Megaoperação de 270 policiais mantém cerco em raio de 10 km de Girassol, no Entorno. Buscas foram realizadas durante a madrugada, mas sem sucesso

Jéssica Moura
postado em 24/06/2021 14:40
ônibus são vistoriados em pontos de bloqueio de Edilândia, Girassol e Águas Lindas -  (crédito: Ed Alves/CB/DA Press)
ônibus são vistoriados em pontos de bloqueio de Edilândia, Girassol e Águas Lindas - (crédito: Ed Alves/CB/DA Press)

Mais uma madrugada de buscas por Lázaro Barbosa, 32 anos, suspeito de assassinar quatro pessoas da mesma família, no Incra 9, em Ceilândia, termina sem resultados. A força-tarefa montada para procurar pelo fugitivo continuou a caçada ao longo da manhã desta quinta-feira (24/6) no distrito de Girassol (GO), no Entorno. Até o momento, o movimento é calmo na área, com pouca circulação de viaturas.

Os bloqueios da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Polícia Militar de Goiás continuam montados ao longo da BR-070. Só entre Águas Lindas e Girassol, em pelo menos dois pontos os veículos eram parados e vistoriados.

Segundo um agente da PRF, depois de duas semanas de evasão dos moradores e trabalhadores rurais da região, muitos dos motoristas abordados começam a fazer o caminho de volta para os distritos de Cocalzinho (GO).

"Tem muitas pessoas retornando para as chácaras, tem os animais, para alimentar os que ficaram abandonados, os que abordamos relataram isso", afirmou o agente que não se identificou.

Na manhã desta quinta (24/6), Vinicius Sousa, 29 anos, retomou o trabalho na fazenda em que atua como assistente administrativo em Edilândia. Ele veio trazer mais três novos funcionários para a chácara, onde criam gado bovino.

"Hoje estou levando funcionários novos. Mas no começo, quando ele (Lázaro) abandonou o carro vermelho, eu evitei ir para a fazenda, porque ele largou bem próximo da nossa região. Se não eram atividades prioritárias eu evitava. Agora que tenho prioridade, voltei, mas com cautela. Como já são 15 dias, não dá para ficar evitando trabalho", explica.

Além disso, cães especializados em busca de pessoas vivas e cadáveres ajudam na caçada por Lázaro. Um deles se feriu dentro da mata durante a madrugada e é tratado na base da força-tarefa, na escola Municipal Alto da Boa Vista, segundo o Corpo de Bombeiros. Enquanto isso, os agentes de segurança seguem fazendo buscas dentro do mato, em um raio de 10 km da base.

Nessa quarta (23/6), durante a noite, uma chácara em Girassol chegou a ser cercada por quatro viaturas para mais buscas. Cerca de 270 policiais militares e civis do Distrito Federal e de Goiás estão atuando na megaoperação, além das forças especializadas e da Polícia Federal e Rodoviária Federal (PRF).

  • Carros são parados em diversos pontos de bloqueio ao longo da DF-070
    Carros são parados em diversos pontos de bloqueio ao longo da DF-070 Ed Alves/CB/DA Press
  • Caminhões também são alvo de procuras pelo agentes
    Caminhões também são alvo de procuras pelo agentes Ed Alves/CB/DA Press
  • ônibus são vistoriados em pontos de bloqueio de Edilândia, Girassol e Águas Lindas
    ônibus são vistoriados em pontos de bloqueio de Edilândia, Girassol e Águas Lindas Ed Alves/CB/DA Press
  • Caso Lázaro, buscas continuam em 16º de operação
    Caso Lázaro, buscas continuam em 16º de operação Ed Alves/CB/DA Press

Investigações

Mais perguntas sobre esse caso ainda estão sem resposta pela investigação. Na manhã dessa terça (22/6), um carro incendiado foi encontrado abandonado perto da Gruta dos Ecos. No mesmo dia, um lençol e um serrote foram encontrados em uma área de mata em Águas Lindas (GO). Ainda não se sabe se os objetos têm relação com Lázaro Barbosa.

Ainda na terça-feira, um caseiro trocou tiros com um invasor em uma chácara da região. A polícia apura se o possível criminoso era Lázaro. No dia anterior, o espaço aéreo foi fechado e o cerco foi acirrado depois de uma denúncia de que Lázaro teria sido visto dentro da mata em Girassol. Também não foi confirmado se Lázaro está ferido depois de outra troca de tiros na semana passada.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE