Incêndio

Incêndio destrói fábrica de móveis em Ceilândia; ninguém ficou ferido

O combate contra o incêndio, de grandes proporções, teve duração de 2h13, até as chamas serem controladas. No sábado (14/8), um supermercado pegou fogo no Colorado

Ana Maria da Silva
postado em 15/08/2021 13:13
Durante a operação, foram usados, aproximadamente, 2 mil litros de espuma extintora para abafamento e resfriamento, e 12 mil litros de água -  (crédito: Divulgação/CBMDF)
Durante a operação, foram usados, aproximadamente, 2 mil litros de espuma extintora para abafamento e resfriamento, e 12 mil litros de água - (crédito: Divulgação/CBMDF)

Um incêndio de grandes proporções destruiu o galpão principal de uma fábrica de móveis na BR-070, em Ceilândia Norte. Para conter as chamas, os bombeiros demoraram cerca de duas horas, e conseguiram impedir que as chamas atingissem o galpão adjacente.

O fogo começou por volta das 19h de sábado (14/8) e as ruas próximas à empresa tiveram que ser interditadas para os bombeiros trabalharem. No momento do incidente, não havia funcionários, nem animais no local. Os danos se limitaram aos prejuízos materiais.

Para extinguir o fogo, foram necessários 50 bombeiros militares, aproximadamente, 2 mil litros de espuma extintora para abafamento e resfriamento, e 12 mil litros de água. As causas do incêndio serão apuradas pela perícia da corporação, que deve ficar pronta em 30 dias.

Incêndio em supermercado

Este foi o segundo incêndio de grandes proporções em edificações no Distrito Federal em dois dias. Na na sexta-feira (13/8), o CBMDF foi acionado para conter as labaredas no supermercado Supercei, no Colorado. Quando as chamas começaram, havia funcionários e clientes na loja, mas ninguém ficou ferido, pois o alarme tocou e os trabalhadores evacuaram o prédio rapidamente.

Por volta das 7h de sábado (14/8), 10 bombeiros militares reiniciaram os protocolos da chamada operação de rescaldo, movimentando os entulhos e jogando água nos pontos quentes. No entanto, eles não puderam entrar no local porque, segundo informaram, há o risco de desabamento. Por isso, a defesa civil interditou o prédio preventivamente.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE