Coronavírus

Com chegada de doses ao DF no fim de semana, adolescentes são próximos da fila

Com o início da imunização contra a covid-19 para pessoas de 18 e 19 anos, o DF chegou à última faixa etária de adultos. Agora, a expectativa é de que, com a próxima remessa de doses, a campanha atinja a população de 12 a 17 anos

Samara Schwingel
Mariane Rodrigues
postado em 18/08/2021 06:00
Matheus Filipe, 18, foi à UBS 5 de Taguatinga se vacinar e convenceu a mãe, Maria de Fatima, 59, a se imunizar também. Ela ainda não havia tomado a primeira dose -  (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
Matheus Filipe, 18, foi à UBS 5 de Taguatinga se vacinar e convenceu a mãe, Maria de Fatima, 59, a se imunizar também. Ela ainda não havia tomado a primeira dose - (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)

O Distrito Federal deu início à vacinação contra a covid-19 do último grupo de adultos. De acordo com balanço divulgado pela Secretaria de Saúde, 50 mil primeiras doses foram aplicadas no primeiro dia de atendimento às pessoas de 18 e 19 anos. Assim, a capital do país alcançou 61,25% da população total vacinada com, pelo menos, uma dose dos imunizantes. Agora, o Governo do Distrito Federal (GDF) aguarda receber mais vacinas neste fim de semana para, segundo o governador Ibaneis Rocha (MDB), ampliar a campanha aos adolescentes de 12 a 17 anos sem comorbidades. A expectativa é de que uma nova remessa chegue entre sábado (21/8) e domingo (22/8). Até o momento, o Executivo local não tem a confirmação de quantidade de doses nem dia certo para o início da ampliação.

A previsão do começo dos atendimentos era ao meio-dia dessa terça-feira (17/8). Porém a ansiedade levou os jovens aos postos de saúde horas antes. Na Unidade Básica de Saúde (UBS) 5 de Taguatinga, por volta das 9h, havia cerca de 70 pessoas na fila. André Ricardo Mesquita, 19 anos, estava acompanhado da mãe, Andrea Mesquita dos Santos, 49. O rapaz ingressou na faculdade de odontologia há poucos meses. “Quero ter a vida universitária que tantos falam, mas não quero colocar minha vida e nem a dos próximos em risco”, pondera.

Na mesma unidade, estavam Matheus Filipe Cezário, 18 anos e a mãe, Maria de Fátima Cezário, 59. O jovem, quando soube da chegada de vacinas para sua idade, não cogitou se atrasar e incentivou a mãe a acompanhá-lo e, assim, também se vacinar. “Minha mãe é diarista e perdeu muitos bicos por causa desse vírus. Ela estava angustiada e sem ânimo para vacinar”, comentou Matheus. Ele contou que o momento seria especial por poder se vacinar junto com a mãe. Animado, Matheus faz planos para o futuro. “Entrei em contato na academia que faço Muay Thai para saber como estão as aulas presenciais, porque não aguento mais ficar parado”, explicou o estudante.

Na UBS 7 de Ceilândia, com fila inferior a 20 pessoas, a vacinação começou às 10h. A espera se tornou um evento para os jovens que aguardavam atendimento. Wesley dos Santos Martins, 19, afirma que encontrou conhecidos e aproveitou para matar a saudade. “Já que a gente não pode se encontrar em festa, esse foi um momento para descontrair com brincadeiras, risadas e conversando”, destaca o morador de Ceilândia. Ainda na fila, Wesley ficou sabendo do anúncio para vacinar o público de 12 a 17 anos e disse que o próximo evento será acompanhar o irmão de 16 anos até o posto de vacinação.

Ampliação

Durante a assinatura de ordem de serviço para a execução de obra das redes de drenagem pluvial no Lago Sul nessa terça-feira (17/8), o governador Ibaneis Rocha afirmou que, com a próxima remessa de vacinas a ser enviada pelo Ministério da Saúde, será possível ampliar a campanha de imunização para os adolescentes sem comorbidades. “Com as próximas doses, que esperamos que cheguem no fim de semana, já vamos começar a vacinar o público de 12 a 17 anos. A expectativa de fechar a vacinação com essa turma é a mais rápida possível”, declarou. Ao Correio, Ibaneis confirmou que ainda não há uma data específica para o início da imunização de adolescentes sem comorbidades.

Até o momento, as únicas faixas etárias em que o ciclo vacinal está completo e atingiu 100% do público são pessoas com 70 anos ou mais. A partir dos 69 anos, a cobertura começa a cair. Considerando a população total de 3 milhões de pessoas, o DF tem 23,12% dos moradores vacinados com a primeira e segunda doses ou a aplicação única da Janssen.

O infectologista Dalcy Albuquerque ressalta que a imunidade populacional é atingida quando se tem 70% ou mais dos habitantes locais vacinados com duas doses. Porém, ele destaca que atingir esse valor não é garantia do fim da pandemia. “É provável chegarmos à imunidade de rebanho no fim deste ano ou no início do próximo. No entanto, o fim da pandemia vai ser baseado na redução significativa de casos, mortes e na análise da situação”, avalia.

Ele alerta que, enquanto não há um consenso sobre o fim da crise sanitária, é necessário que as pessoas, mesmo vacinadas, continuem com as medidas não farmacológicas de prevenção. “A vacina só previne dos casos graves, ela não interrompe a transmissão e a infecção. Por isso, é importante que continuemos usando máscaras e cuidando do distanciamento social”, completa.

Na terça-feira (17/8), o DF aplicou 51.415 primeiras doses (D1), 6.486 segundas doses (D2) e 482 doses únicas. Assim, há 1,8 milhão de pessoas vacinadas com uma dose, 650.478 com o reforço e 55.358 com dose única.

Cenário

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado nessa terça-feira (17/8), o DF registrou 479 novos casos e 10 mortes pela doença. No total, são 460.840 infecções e 9.849 óbitos notificados desde o início da crise sanitária. Com a atualização, a média móvel de casos chegou a 673, valor 3,76% maior que o registrado há 14 dias. O indicativo de mortes está em 12,71, uma alta de 7,16% em relação ao mesmo período. As variações indicam estabilidade. A taxa de transmissão do vírus segue em 0,95.

A ocupação dos leitos de unidade de terapia intensiva (UTIs) voltados para o tratamento da covid-19 estava em 61,64% na rede pública. Dos 197 leitos, 98 estavam com pacientes, 61 livres e 38 bloqueados. Na rede particular, a ocupação era de 82,83%, sendo que dos 256 leitos, 164 estavam ocupados, 36 vagos e 56 bloqueados. Na fila de espera por uma UTI, havia 10 pessoas com suspeita ou confirmação de infecção pela doença.

Antecipação da AstraZeneca

Nesta quarta-feira (18/8), terá início mais uma fase da antecipação da segunda dose no Distrito Federal. As pessoas que tomaram AstraZeneca e precisam do reforço até 31 de agosto poderão procurar os postos de atendimento e antecipar a aplicação. Neste momento, o recurso vale apenas para os vacinados com AstraZeneca.

A medida foi divulgada após a Secretaria de Saúde verificar que tem doses suficientes para atender a esse público sem prejudicar o atual andamento da campanha. Não é necessário agendamento, basta comparecer a um dos locais de atendimento abertos e aguardar a aplicação pelos profissionais de saúde. O horário de funcionamento é das 8h às 17h, e, nesta quarta-feira (18/8), 68 pontos estarão abertos. Durante a agenda de terça-feira (17/8), o governador Ibaneis Rocha (MDB) pediu que a população não deixe de tomar a segunda dose.

“É bom que se chame a população para que se tenha atenção com a segunda dose. A imunização só é completa com a segunda dose da vacina”, lembrou o chefe do Executivo local. Ibaneis espera que as pessoas não achem que podem voltar à vida normal após a primeira dose. “A população do DF é esclarecida. A gente espera que não precise ficar insistindo muito nessa situação. Então, tem que tomar cuidado e tem que comparecer aos postos para a segunda dose”, defende o governador.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE