Calor

Na fuga do calor, brasilienses recorrem ao Lago Paranoá neste sábado

Os 32ºC da capital do país e a baixa umidade relativa do ar tornaram convidativo um passeio pela Orla do Lago. Não apenas os adultos, como crianças e cachorros aproveitaram o dia à beira da água

Edis Henrique Peres
postado em 18/09/2021 19:23
 (crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press         )
(crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press )

Com a névoa seca que predomina no Distrito Federal e a alta temperatura, com máxima de 32°C neste sábado (18/9), os brasilienses tiveram de recorrer a estratégias para fugir do calor. A mínima na capital, durante a madrugada, chegou a 13ºC na estação meteorológica do Gama, segundo informações do Instituto Nacional de Metereologia (Inmet). Contudo, a queda de temperatura durante a noite não foi o bastante para amenizar a sensação térmica, e a umidade relativa do ar continuou baixa, chegando a 15% nas horas mais quentes do dia.

A meteorologista Andrea Ramos destaca que a primavera começa na quarta-feira (22/9), mas a chuva ainda não está prevista para esta semana. “O vento fraco e moderado dará uma sensação de melhoria no calor”, pontua. Justamente o alívio do vento que Shirlene Batalha, 56 anos, aposentada e moradora do Paranoá, aproveitava à beira do Lago. “Lá em casa tive que colocar bacia de água debaixo da cama e toalha molhada na janela, para pelo menos amenizar um pouco”, contou.

  • Paulo Roberto da Silva Gomes com a filha Emilly Melo.
    Paulo Roberto da Silva Gomes com a filha Emilly Melo. Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
  • Rayssa Veira com o namorado Carlos Eduardo Pereira Mendonça e os cães Scar (preto) e Zara (branco).
    Rayssa Veira com o namorado Carlos Eduardo Pereira Mendonça e os cães Scar (preto) e Zara (branco). Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
  • Shirlene Batalha, 56 anos, aproveitava a sombra de uma árvore à beira do Lago.
    Shirlene Batalha, 56 anos, aproveitava a sombra de uma árvore à beira do Lago. Edis Henrique Peres/CB/DA Press
  • Maria dos Milagres, 54 anos, moradora do Gama, se programou com toda a família para aproveitar o fim de semana na Orla do Lago.
    Maria dos Milagres, 54 anos, moradora do Gama, se programou com toda a família para aproveitar o fim de semana na Orla do Lago. Edis Henrique Peres/CB/DA Press

A estratégia também foi adotada na casa de Maria dos Milagres, 54 anos, moradora do Gama e auxiliar de lavanderia. “Toalha, bacia e umidificador; tudo isso a gente usa. Aqui no Lago, ao menos dá uma aliviada”, frisou. Maria reuniu a família e amigos para o dia de lazer na Orla. “Chegamos por volta de 10h, e ainda tem mais gente para chegar. Estamos esperando meu filho, minha filha e minha neta”, disse Maria, por volta das 14h, com os pés mergulhados na água.

O motorista de aplicativo Lucas Dias, 33, morador do Paranoá, também aproveitou o fim de semana para passear com a namorada. “O jeito de vencer esses dias é tomando muita água gelada, procurando sempre uma sombra”, destacou.

Cuidados

Algumas ações preventivas devem ser adotadas para o passeio começar e terminar bem. A equipe do Correio colheu algumas dicas com o sargento Cordeiro, do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF), que atua com mais dois colegas no serviço de salvamento à beira da Orla Norte. “Com esse calor, a pessoa tem que se hidratar bem, não esquecer o protetor solar e buscar refúgio na sombra nas horas mais quentes do dia”, frisou.

O sargento também orientou os cuidados a serem adotados na água. “Algumas brincadeiras são contraindicadas, como luta, enforcamento ou derrubar o outro. Também é importante que os banhistas fiquem próximos da área de visão da equipe de salvamento, Outra dica é tomar cuidado com a profundidade do lago. Ele costuma ficar fundo rapidamente, por isso, quando a pessoa for nadar, ela deve seguir as margens e não ir de encontro com o meio do Lago”, alertou.

Além dessas medidas, a banhista Waldenora Barreto Pereira, 51, moradora do Paranoá e manicure, pondera outro cuidado a ser tomado pela população. “O lago é uma coisa linda, mas nem todo mundo zela por ele. Eu mesma já retirei duas garrafas pets no pouco tempo que entrei dentro da água. A gente tem que zelar e cuidar, evitar sujar o local. Ter consciência”.

Diversão

Com canoagem, pedalinhos, bola e água, a alegria contagiou todas as faixas etárias. Paulo Roberto Gomes, 44, motorista e morador do Paranoá, aproveitou o dia de folga para passear com a filha, Emilly Melo, 7. A pequena estava empolgada com o dia no lago e contou que já tinha mergulhado, nadado e até se arriscado a ir até o fundo. “Chegamos aqui às 13h, e vamos ficar até o fim da tarde. Amanhã, a mãe dela está de folga, e a Emilly deve voltar de novo para o Lago”, afirma Paulo.

Paulo Roberto da Silva Gomes com a filha Emilly Melo, 7 anos.
Paulo Roberto da Silva Gomes com a filha Emilly Melo, 7 anos. (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press )

Além das crianças, quem fez a festa na água foi a Zara, uma Chow Chow de 10 meses de idade que não queria deixar a água. “Desde que ela chegou, só quer ficar no Lago”, afirmou Raynere Vieira, 30 anos, estudante e morador de Taguatinga. A dona do animal é a sobrinha de Raynere, Rayssa, 16, e estudante. Ela conta que em casa toma alguns cuidados com a Zara nesse período quente e seco.

 

Rayssa Veira com o namorado Carlos Eduardo Pereira Mendonça e os cães Scar (preto) e Zara (branco).
Rayssa Veira com o namorado Carlos Eduardo Pereira Mendonça e os cães Scar (preto) e Zara (branco). (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press )

“Colocamos uma toalha molhada para ela deitar e dormir. E também pegamos gelo para a água dela e usamos alguns ventiladores. Ela gosta muito de água”, reforçou Rayssa. Quem fazia companhia a Zara era Scar, um Husky Siberiano, também de 10 meses de idade, do professor e morador de Taguatinga Carlos Eduardo, 23. Enquanto os cachorros aproveitavam o banho de lago, as crianças se agitavam querendo brincar com os animais.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE