Violência contra mulher

Tribunal condena homem a sete anos de prisão por tentativa de feminicídio

Tribunal do Júri do Recanto das Emas condenou Sueli Ferreira de Borba a sete anos, um mês e 15 dias de prisão, por tentar matar a ex-companheira com golpes de faca.

Correio Braziliense
postado em 05/10/2021 14:28 / atualizado em 05/10/2021 14:28
 (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press )
(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press )

Acusado de tentar matar a ex-companheira com golpes de faca, Sueli Ferreira de Borba foi condenado a sete anos, um mês e 15 dias de prisão pelo Tribunal do Júri do Recanto das Emas por tentativa de feminicídio. A sessão de julgamento foi realizada na última quinta-feira (30/9).

De acordo com os autos do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), o réu e a vítima estavam separados há três meses quando o caso ocorreu, em 16 de junho de 2020. A mulher conta que o relacionamento teria durado um ano e, inicialmente, ela foi morar com o acusado na chácara dele.

À Justiça, ela disse que teria investido dinheiro no imóvel e que o acusado não quis fazer acordo em relação a esse investimento, após o término da relação. A vítima acredita que o desentendimento ocorrido entre ambos, que resultou na agressão, foi motivado pela desentendimento do negócio.

Após o caso, a vítima apresentou sequelas pelo corpo. Ela não consegue movimentar o braço esquerdo e precisa de medicação. Estavam presentes no local do crime, a filha da vítima e dois sobrinhos.

Em respeito à decisão soberana dos jurados, o juiz presidente do Júri condenou o acusado por tentativa de feminicídio, em um contexto de violência doméstica e familiar contra a mulher. O réu foi penalizado com base na Lei Maria da Penha.

 

O réu irá cumprir a pena em regime semiaberto. “O acusado respondeu ao processo, após período de prisão cautelar, em liberdade. Não possui outras passagens criminais e não se envolveu em novos delitos após a conquista da liberdade”, pontuou o magistrado.

Com informações do TJDFT

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE