Investigação

Policial penal é preso após dar tiro perto de bar no Riacho Fundo

Ao Correio, a Secretaria de Administração Penitenciária do Distrito Federal (Seape-DF) afirmou que o servidor público será afastado das funções operacionais

Darcianne Diogo
postado em 25/10/2021 13:54
 (crédito: Guns Power/Divulgacao)
(crédito: Guns Power/Divulgacao)

Um policial penal, de 46 anos, foi preso pela Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) depois de efetuar um disparo de arma de fogo em um bar para tentar apartar uma pessoa. O caso aconteceu na madrugada desta segunda-feira (25/10), no Riacho Fundo 1. Ao Correio, a Secretaria de Administração Penitenciária do Distrito Federal (Seape-DF) afirmou que o servidor público será afastado das funções operacionais.

Identificado como Sostene Luiz Ribeiro, o policial afirmou, em depoimento aos investigadores da 29ª Delegacia de Polícia (Riacho Fundo), que compareceu ao bar para comemorar o aniversário de um amigo. Segundo ele, um dos frequentadores veio “cheio de marra” em direção a ele e outras pessoas que o acompanhavam.

O policial penal, então, efetuou um disparo de arma de fogo no chão na tentativa de apartá-lo, como consta no boletim de ocorrência. Os policiais militares foram acionados para atender a ocorrência e encontraram a cápsula nas proximidades do local do tiro. De acordo com a PMDF, Sostenes estava com sinais nítidos de embriaguez e estava, inclusive, alterado e com fala desconexa.

Ainda durante o interrogatório, o policial confessou que ingeriu bebida alcoólica e que já se envolveu em outra ocorrência de disparo de arma de fogo na região do Guará. Na delegacia, Sostenes pagou fiança no valor de R$ 1.100 e foi liberado. A reportagem não localizou a defesa do servidor. O espaço permanece aberto para manifestações.

Afastado

Procurada pela reportagem, a Seape-DF afirmou que o policial será afastado das funções e terá o porte de arma suspenso até que o caso seja apurado nas esferas criminal e administrativa. “A pasta reitera que não compactua com desvios de conduta por parte de seus servidores”, pontuou a pasta em nota oficial.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE