Violência

Após uma "fechada de trânsito", motorista tenta atropelar duas pessoas

Motorista começou a discutir com homens de outro carro, que desceram do veículo antes da tentativa de atropelamento, em Taguatinga Norte. A 12ª DP (Taguatinga Centro) registrou ocorrência por dano, lesão corporal e injúria

Pedro Marra
postado em 11/11/2021 22:20
Carro tenta atropelar duas pessoas após briga de trânsito em Taguatinga -  (crédito: PCDF/Divulgação)
Carro tenta atropelar duas pessoas após briga de trânsito em Taguatinga - (crédito: PCDF/Divulgação)

Um homem, 36 anos, se descontrolou e tentou atropelar duas pessoas, em Taguatinga Norte, após discussão causada por uma "fechada" — quando um veículo se coloca de maneira abrupta à frente de outro carro. O momento foi registrado por câmeras de segurança, na terça-feira, e flagraram o condutor de um Renault Kwid de cor branca, identificado pelas iniciais W.P.S, tentando atingir dois homens.

Nas imagens, é possível ver o momento em que os motoristas param na rotatória da QNM 34 e se comunicam de maneira exaltada. Logo, os dois ocupantes do Celta de cor prata — outro veículo envolvido — saem do carro, mas W.P.S dá a volta e avança em alta velocidade contra os homens. Após a tentativa de atropelamento, ele dirige de ré, na contramão, e sai do local, quase acertando a porta de outro automóvel, e invade a calçada de uma padaria.

De acordo com o delegado-chefe da 12ª DP, José Ribeiro, o Celta teria encostado na lateral do Kwid. "O motorista do Celta desceu com a trava do volante e foi em direção ao veículo branco e, com ela, acertou algumas vezes o carro. O cara do Celta disse que desceu com a intenção de conversar", relata o agente.

Ainda segundo o delegado, um dos homens que estava fora do carro pegou uma pedra e acertou a cabeça do motorista do veículo branco. O Corpo de Bombeiros Militar do DF foi acionado para o local, mas não atuou no caso.

O caso foi registrado na 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro), como dano, lesão corporal e injúria pela tentativa de atropelamento do proprietário do veículo branco. Lá, foi lavrado um termo circunstanciado que seguirá para o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT). "Vamos mandar o inquérito à Justiça, e no dia seguinte ele vai para audiência de custódia", explica o investigador.

Na delegacia, os três homens foram identificados. Eles não possuem passagem pela polícia, assinaram o termo foram liberados da unidade em seguida. Os policiais militares fizeram o teste do bafômetro no motorista Renault Kwid, mas o resultado deu negativo. O condutor do Celta se negou a aferição, mas não apresentava sinais de alcoolemia.

Curso do Detran-DF

Para levar educação à população desde a juventude, o Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) busca formar condutores conscientes por meio do programa Detran nas Escolas — Cidadania no Trânsito para Estudantes do Ensino Médio. Atualmente, o projeto está em seis escolas-piloto, com turmas de 35 alunos, mas com objetivo de chegar a 92 redes de ensino público da capital. Cuidados com o meio ambiente, respeito aos ciclistas, motociclistas, idosos e pedestres são alguns valores ensinados para os alunos da rede pública que participam do projeto.

O Curso de Formação Teórica para Habilitação de Condutor de Veículos Automotores tem 90 horas/aulas no total. Os estudantes podem utilizá-lo como parte do processo teórico de obtenção da CNH, após completarem 18 anos de idade. A economia dos estudantes da rede pública que fazem gratuitamente esse curso de formação teórica é de R$ 300.

O diretor-geral do Detran-DF, Zélio Maia, avalia que brigas de trânsito como a de Taguatinga Norte podem ser evitadas durante o curso, usado para passar “A nossa ideia é que esse aluno difunda o que está aprendendo em sala de aula. Estamos levando noções de conceito humanizado de trânsito, de qual é a função de estado, de direitos humanos, respeito pelo próximo e abordamos uma questão simples, que é a gentileza. Digo a eles que o que têm de fazer no trânsito é o que fazemos no dia a dia, usar um por favor ou um com licença”, esclarece.

Zélio avalia que casos de briga de trânsito são de responsabilidade da polícia. “Isso é violência, em que a pessoa usa o veículo como arma. Isso não tem relação com violência de trânsito que estamos acostumados a ouvir. Com a pandemia, as pessoas criaram problemas psicológicos, e estão muito estressadas, impacientes com os outros, e isso é nas redes sociais, como também no trânsito”, analisa o diretor-geral do Detran-DF.

O conteúdo programático prevê aulas de noções de cidadania, proteção e respeito ao meio ambiente e de convívio social no trânsito, direção defensiva para veículos de duas ou mais rodas, noções de primeiros socorros, legislação de trânsito e noções de funcionamento de veículos de duas ou quatro rodas (mecânica).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE