Direitos

Servidores socioeducativos se mobilizam contra vetos da LDO em frente à CLDF

Mobilização de servidores do Sindicato dos Servidores da Carreira Socioeducativa do DF(Sindsse) pede derrubada de vetos da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2022

Pedro Marra
postado em 23/11/2021 18:57 / atualizado em 23/11/2021 19:45
Presidente do Sindsse-DF, André Henriques Santos, durante assembleia de agentes socioeducativos contra vetos à categoria na LDO de 2022 -  (crédito: Pedro Marra/CB/D.A. Press)
Presidente do Sindsse-DF, André Henriques Santos, durante assembleia de agentes socioeducativos contra vetos à categoria na LDO de 2022 - (crédito: Pedro Marra/CB/D.A. Press)

Cerca de 300 integrantes do Sindicato dos Servidores da Carreira Socioeducativa do Distrito Federal (Sindsse-DF) realizaram uma mobilização na tarde desta terça-feira (23/11), em frente à Câmara Legislativa do DF (CLDF), contra a derrubada de alguns vetos da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2022. O encontro, iniciado às 14h, marcou a assembleia geral extraordinária da categoria, com aproximadamente 2,2 mil funcionários de carreira.

Segundo o presidente do Sindsse, André Henriques Santos, a categoria pede reestruturação da carreira, gratificação de habilitação socioeducativa, adicional de insalubridade e aumento de cotas do serviço voluntário. “Também queremos garantir nossa aposentadoria especial, mas a gente tem a informação de que os vetos não vão ser pautados”, assegura.

Representantes da categoria se reuniram por cerca de uma hora com o secretário de Economia do DF, André Clemente, e a secretária de Justiça e Cidadania do DF, Marcela Passamani. Após o encontro, o presidente do Sindsse comentou que os agentes têm apenas uma garantia à aposentadoria prevista na Constituição Federal. "Mas o governo se comprometeu a estudar as demandas da categoria", pondera André.

No documento, diz que poderão ser estabelecidos por lei complementar do respectivo ente federativo, idade e tempo de contribuição diferenciados para aposentadoria de ocupantes do cargo de agente penitenciário, de agente socioeducativo ou de policial dos órgãos. “Precisamos de uma lei do DF. Então, também estamos aqui por isso, pois a gente está em busca dessa autorização”, acrescenta André Henriques Santos.

Presente na reunião, o agente socioeducativo José Carlos Amaral, 33 anos, afirmou que o encontro com os chefes da pasta foi positivo. "Vão estudar os vetos, mas não para viabilizar de prontidão. A gente falou das pautas e foram dizendo o que dá para entrar em análise e outras que não eram viáveis num primeiro momento", diz o servidor, há 11 anos no área.

  • Agente socioeducativo, José Carlos Amaral, 33, pede derrubada de vetos em LDO de 2022
    Agente socioeducativo, José Carlos Amaral, 33, pede derrubada de vetos em LDO de 2022 Pedro Marra/CB/D.A. Press
  • Presidente do Sindsse-DF, André Henriques Santos, durante assembleia de agentes socioeducativos contra vetos à categoria na LDO de 2022
    Presidente do Sindsse-DF, André Henriques Santos, durante assembleia de agentes socioeducativos contra vetos à categoria na LDO de 2022 Pedro Marra/CB/D.A. Press
  • Presidente do Sindsse-DF, André Henriques Santos, durante assembleia de agentes socioeducativos contra vetos à categoria na LDO de 2022
    Presidente do Sindsse-DF, André Henriques Santos, durante assembleia de agentes socioeducativos contra vetos à categoria na LDO de 2022 Pedro Marra/CB/D.A. Press
  • Presidente do Sindsse-DF, André Henriques Santos, durante assembleia de agentes socioeducativos contra vetos à categoria na LDO de 2022
    Presidente do Sindsse-DF, André Henriques Santos, durante assembleia de agentes socioeducativos contra vetos à categoria na LDO de 2022 Pedro Marra/CB/D.A. Press

Confira abaixo um vídeo do discurso do presidente do Sindsse-DF, André Henriques Santos, durante a assembleia, que terminou por volta das 17h30.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE