Violência

Após aluna esfaqueada em São Sebastião, moradores reclamam da insegurança

Ao Correio, alunos do Colégio Fundamental do Bosque informaram que o rapaz tem perfil violento. Ele esfaqueou uma adolescente de 14 anos, na manhã desta quarta-feira (23/3)

Pedro Marra
Carlos Silva*
postado em 23/03/2022 13:43
A estudante foi esfaqueada dentro da escola -  (crédito: Pedro Marra/CB/D.A.PRESS)
A estudante foi esfaqueada dentro da escola - (crédito: Pedro Marra/CB/D.A.PRESS)

Mães e estudantes do Colégio Fundamental do Bosque, em São Sebastião, relatam o clima de insegurança vivido não só na escola, mas na cidade. A reportagem ouviu a comunidade local após um adolescente, de 15 anos, esfaquear nas costas e no braço uma colega, de 14. Segundo populares, os jovens costumam entrar facilmente com arma branca na instituição e presenciam brigas do lado de fora.

A mãe de um estudante, que não quis se identificar, detalhou que havia alunos dentro da escola, onde esperou mais de 40 minutos para buscar o filho. Ela reclama da falta de segurança no colégio. "Como que um adolescente entra em uma escola armado?", questiona.

Ela conta que o filho vai sozinho para a escola."Fico mais insegura com isso, mas é só Deus na causa, porque a cidade está sendo largada às traças", desabafa.

Uma aluna do Colégio Fundamental do Bosque informou que tem sido comum ver brigas com uso de armas brancas. "Mas nunca aconteceu o que aconteceu hoje, porque nunca chegaram a usar, só na mão mesmo", detalha a jovem, que também não quis revelar a identidade.

A estudante acrescenta que, geralmente, os casos de brigas com arma branca ocorrem fora da escola, perto da entrada. "Chamam a polícia, e os meninos que ficam com as armas brancas costumam subir para casa assim que chamam a polícia", relata.

Perguntada sobre a sensação de insegurança no próprio colégio, a menina citou o clima de violência na região. "A gente costuma dizer que não temos mais segurança em lugar nenhum nessa escola, e, principalmente, nessa cidade", diz a adolescente.

Outra mãe ouvida pela reportagem informou que a escola teve casos de assédio e violência fora do colégio. "Quando a gente está com medo de ser assaltada do lado de fora, está com medo do filho ser assassinado do lado de dentro da escola", crítica.

A mãe de uma estudante que trabalha como monitora escolar buscou a filha e amiga da menina no colégio. "Ele é muito quieto e falava que odiava todo mundo da sala dela (filha) e não se enturmava", relata a moradora da cidade.

A Polícia Militar do DF conta com duas viaturas e cinco policiais em frente ao Colégio Fundamental do Bosque. A vítima recebeu os primeiros socorros e foi levada para o Hospital Regional de Planaltina (HPRL). O autor, um adolescente de 15 anos, foi encaminhado para a Delegacia da Criança e do Adolescente 1 (DCA 1), localizada na Asa Norte.

As informações foram confirmadas pela comunicação da PMDF.

*Estagiário sob a supervisão de Nahima Maciel

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE