Feminicídio

Homem que matou criança e idosa, e deixou outros 4 feridos, vai a Júri

Adenilson Santos Costa, de 35 anos, invadiu a casa onde a ex-esposa estava e a tentou matar com facadas. O acusado matou Izadora de Souza, de 8 anos, e a avó da criança, Eunice Maria

Pablo Giovanni*
postado em 12/05/2022 19:56 / atualizado em 12/05/2022 19:58
 2022. Crédito: Reprodução. Cidades. Autor do crime, Adenilson Santos de Costa. -  (crédito: Reprodução)
2022. Crédito: Reprodução. Cidades. Autor do crime, Adenilson Santos de Costa. - (crédito: Reprodução)

Adenilson Santos Costa, 35 anos, acusado de esfaquear seis pessoas e matar uma criança e uma idosa, na QR 409, de Samambaia, sendo uma delas a própria esposa por ciúmes após uma discussão, virou réu após denúncia do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) ter sido aceita pela Justiça do Distrito Federal. Ele será julgado pelo Tribunal do Júri de Samambaia, mas ainda não há uma data definida.

O crime ocorreu na noite de 5 de fevereiro, e foi motivado por ciúmes após Adenilson ter discutido com a companheira, Eudicilene de Sousa Barros, 50 anos, minutos antes do crime. De acordo com a ex-esposa, o agressor, bêbado e muito alterado no dia do crime, foi à casa de uma das amigas de Eudicilene, forçou a porta da residência e começou a desferir facadas nas pessoas que estavam dentro da casa. Izadora, de 8 anos, morreu após ter sido levada o Hospital Regional de Ceilândia (HRC), e a avó Eunice Maria da criança, 54, faleceu após dois dias internada no HRT.

Segundo o agressor, na audiência de custódia, afirma que queria matar a ex-esposa e a esfaqueou porque ela disse que iria “dar para todo mundo”. Ainda na audiência de custódia, o agressor demonstrou arrependimento e afirmou que não se lembra de ter esfaqueado outras pessoas. Contudo, o magistrado da 2ª Vara Criminal de Samambaia atestou a gravidade dos fatos e determinou a manutenção da prisão de flagrante para preventiva, após ele ter sido preso pela polícia em um prédio da região, logo após ter fugido dos vizinhos que ouviram os gritos de socorro.

  • 2022. Crédito: Reprodução. Cidades. Autor do crime, Adenilson Santos de Costa. Reprodução
  • Adenilson Costa esfaqueou cinco pessoas Material cedido ao Correio
  • Eudicilene de Sousa Barros e o companheiro e autor do crime, Adenilson Santos de Costa Material cedido ao Correio

De acordo com o delegado-chefe da 26ª Delegacia de Polícia, localizada na Samambaia Norte, Rodrigo Carbone, a tragédia poderia ter sido pior caso o marido de Ana Paula, que é a dona da residência, e que também acabou esfaqueado, não tivesse intervido. “De acordo com a Ana Paula (uma das vítimas esfaqueadas), o marido que estava no cômodo ao lado ouviu os gritos e entrou em luta corporal com ele (Adenilson). A tragédia poderia ter sido pior caso ele não intervisse”, contou Carbone. O bebê do casal quase foi mais uma vítima.

Assassinada ao correr

A pequena Izadora de Souza do Nascimento, de 8 anos, assassinada em Samambaia Norte, tentou fugir do agressor ao ver a mãe sendo esfaqueada. Izadora estava na companhia da genitora, de duas tias e de uma amiga da família em casa, na QR 409, quando Adenilson Santos de Costa, 35, invadiu a residência e golpeou as vítimas.

Izadora via toda a cena e tentou fugir, quando foi alcançada por Adenilson e esfaqueada na barriga. A criança foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros Militar (CBM-DF) e encaminhada ao Hospital Regional de Ceilândia (HRC), mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Outras passagens

Segundo a Polícia Civil, Adenilson Santos Costa tinha quatro passagens por Lei Maria da Penha. Todas foram referentes a um antigo relacionamento. De acordo com o adjunto da 26ª DP, Rodrigo Carbone, a ex-companheira chegou a pedir medida protetiva contra Adenilson. No entanto, o processo foi arquivado com o fim do relacionamento dos dois. As denúncias foram feitas de 2017 a 2020.

Em relação à atual companheira, Eudicilene Souza Barros, 50, não há registros de denúncias no âmbito da Lei Maria da Penha. “De todas as ocorrências que nós catalogamos contra ele, não há nenhuma da Eudicilene. Nós não descartamos, porém, que possa ter ocorrido eventos de agressão e que não tenham sido registradas por ela”, conta o delegado.

ONDE PEDIR AJUDA?

Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência — Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República
Telefone: 180 (disque-denúncia)

Centro de Atendimento à Mulher (Ceam)
» De segunda a sexta-feira, das 8h às 18h
» Locais: 102 Sul (Estação do Metrô), Ceilândia, Planaltina

Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam)
» Entrequadra 204/205 Sul - Asa Sul
(61) 3207-6172

Disque 100 — Ministério dos Direitos Humanos
Telefone: 100

Programa de Prevenção à Violência Doméstica (Provid) da Polícia Militar
Telefones: (61) 3910-1349 / (61) 3910-1350

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE