Previsão do tempo

Frio perde força no DF, mas a umidade relativa do ar preocupa

O DF deve enfrentar baixos índices de umidade, variando de 12% a 20% nos próximos dias

Ana Maria Pol
postado em 23/05/2022 09:16
 (crédito: Carlos Vieira/CB/D.A.Press)
(crédito: Carlos Vieira/CB/D.A.Press)

Uma semana com menos roupas de frio é a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). De acordo com o órgão, a massa de ar frio intensa que atingiu o Distrito Federal na última semana já perdeu a força e, agora, os brasilienses devem lidar com o clima típico do outono inverno: tempo aberto, predomínio de sol, poucas nuvens e temperaturas agradáveis pela manhã. A mínima registrada nesta segunda-feira (23/5) foi de 10ºC e, à tarde, os termômetros na capital devem chegar a 27ºC.

Segundo o meteorologista Olívio Bahia, o frio que os brasilienses devem relatar ao longo da semana é característico do período. “Periodicamente pode vir outra frente fria, mas não há perspectiva para essa semana. Essa massa de ar que atuou no DF durante a semana passada já se foi. Então, o frio é aquele típico do outono e inverno”, garante.

Agora, a preocupação é com a umidade relativa do ar. Olívio prevê que o DF deve enfrentar baixas dos próximos dias, variando entre 12% e 20%.

Para essa segunda-feira (23/5), o meteorologista diz que a taxa deve variar entre 25% e 95%. A menor registrada no ano foi no último sábado (21/5), quando a capital chegou a 13% de umidade relativa do ar. “Já não estamos conseguindo respirar bem, passamos parte do dia com agonia nas narinas e garganta e devemos ter vários dias com esse padrão. Temos poluição, restos de poeira, fumaça dos carros, poluentes das queimadas e, tudo isso contribui para que a atmosfera fique seca, com poluentes”, diz.

Sem previsão de chuva para aliviar a climatologia, Olívio pondera que nos próximos dias, a umidade relativa do ar deve piorar. “É uma questão de número, mas o corpo já sente e sofre”, reitera. O clima ameno e a baixa umidade chamam a atenção para a hidratação do corpo. “Apesar da temperatura baixa, a radiação solar deve ser intensa. Então o brasiliense deve usar protetor solar, beber bastante líquido, e evitar ficar no sol durante as horas mais quentes. Além disso, já devemos começar a ter cuidado com os riscos de incêndio e queimadas, uma vez que o clima seco já iniciou sua temporada”, completa.

O último registro de chuva no DF aconteceu em 17 de maio, quando o Paranoá registrou 11,8mm. A média esperada para o mês de maio é de 26mm. “Se chove no DF, é algo muito pontual. Então não temos previsão de mudar o cenário, nessa época chove pouco mesmo”, reforça o meteorologista.

Umidade relativa do ar


A orientação da Defesa Civil é beber, pelo menos, seis copos d'água por dia, pingar duas gotas de soro fisiológico em cada narina, ter toalhas molhadas e bacias de água nos quartos, usar roupas leves e, se possível, de algodão. Também faz parte das recomendações não fazer exercícios físicos entre 10h e 17h e evitar queima de lixo e entulho. Confira a orientação para cada nível de medição abaixo.

Confira a orientação para cada nível de medição:

Entre 21% e 30% por cinco dias consecutivos: estado de atenção
- Evitar exercícios físicos ao ar livre entre 11h e 15h;
- Umidificar o ambiente por meio de vaporizadores, toalhas molhadas e recipientes com água;
- Consumir água à vontade.

Entre 12% e 20% por dois dias seguidos: estado de alerta
- Observar as recomendações do estado de atenção;
- Suprimir exercícios físicos e trabalhos ao ar livre entre 10h e 17h;
- Evitar aglomerações em ambientes fechados;
- Usar soro fisiológico nos olhos e nas narinas.

Abaixo de 12% por dois dias seguidos: estado de emergência

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE