Nota Legal

Brasilienses receberão créditos da Nota Legal a partir desta terça-feira

Interessados devem cadastrar os dados bancários no site do programa até 31 de julho para receberem os créditos em dinheiro

Correio Braziliense
postado em 04/07/2022 23:16
Os participantes do Nota Legal podem indicar conta poupança ou corrente, inclusive as digitais, para receber o crédito -  (crédito: Cr?dito:Joel Rodrigues/CB/D.A Press)
Os participantes do Nota Legal podem indicar conta poupança ou corrente, inclusive as digitais, para receber o crédito - (crédito: Cr?dito:Joel Rodrigues/CB/D.A Press)

O período de resgate dos prêmios do Nota Legal começa nesta terça-feira (5/7). Para quem deseja sacar o benefício, é necessário indicar os dados bancários pelo site do programa até 31 de julho. Só receberão os depósitos, em dinheiro, os participantes que tiverem pelo menos R$ 25 de saldo no programa, e que não estejam em dívida com a Receita do Distrito Federal.

Os participantes podem indicar conta poupança ou corrente, inclusive as digitais, que foram adicionadas como opção. Somente contas-salários não são permitidas. O procedimento é feito na área restrita do site, com acesso exclusivo pelo CPF e senha cadastrada.

Com o Nota Legal, os contribuintes recebem créditos ao registrarem o CPF em notas fiscais de compras. Assim, os valores podem ser abatidos em impostos ou podem ser resgatados no mês de julho. Mesmo quem possui bens registrados no DF podem receber créditos — gerados até o mês de fevereiro de 2022, e são válidos por dois anos — em dinheiro.

Data limite

Quem estiver em dívida com a Receita poderá regularizar os débitos até o final de julho, para, então, solicitar os créditos. Mas atenção: existe um tempo hábil para a baixa no sistema, e é indicado que o pagamento ocorra até o dia 27.

A Secretaria de Economia (Seec) orienta que os brasilienses não deixem para a última hora, pois se o débito ainda estiver no sistema não será possível solicitar o depósito.

A pasta responsável deve realizar o pagamento em até 45 dias após o final do prazo de indicação. No ano passado, a Seec fez 96 mil chamadas, que resultaram em um pagamento de R$ 17,1 milhões.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE