Investigação

Lesão grave na região abdominal causou morte de criança estuprada no DF

A pequena Isabella Dourado, de 4 anos, morreu na tarde dessa segunda-feira (5/2). Médicos legistas constataram sinais de abuso sexual na criança. Igor Fernandes Pereira Ayres, 22, padrasto da menina, foi preso em flagrante

Igor foi preso pelo estupro e morte da enteada de 4 anos -  (crédito: Redes sociais)
Igor foi preso pelo estupro e morte da enteada de 4 anos - (crédito: Redes sociais)
postado em 06/02/2024 20:29 / atualizado em 06/02/2024 21:39

Relatório preliminar do Instituto Médico Legal (IML) apontou que a morte da pequena Isabella Dourado de Oliveira, 4 anos, foi causada por uma lesão grave na região abdominal. Os médicos legistas constataram, ainda, vestígio de abuso sexual na área anal da criança. O caso é investigado como estupro de vulnerável com resultado morte e o principal suspeito do crime é o padrasto dela, Igor Fernandes Pereira Ayres, 22.

Igor foi preso em flagrante pela Polícia Militar (PMDF) e pela Polícia Civil (PCDF) na tarde dessa segunda-feira (6/2), logo após o crime. Nesta terça-feira (6/2), o estudante de ciências da computação passou por audiência de custódia e teve a prisão preventiva decretada pela Justiça.

No dia do ocorrido, na segunda, a mãe de Isabella deixou a criança aos cuidados do companheiro para ir trabalhar, por volta das 6h30. No período da tarde, Igor ligou para a mulher e disse que a criança estaria convulsionando. Ele ligou para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e foi orientado a fazer manobras de ressuscitação na menor.

Durante o atendimento à vítima, uma médica do Samu informou aos policiais militares a constatação de sinais de violência sexual nas partes íntimas da criança. Preliminarmente, peritos da PCDF confirmaram os abusos.

Igor foi encaminhado à delegacia e, em depoimento, negou qualquer crime. “Ele não esboçou nenhuma reação, o que chamou a nossa atenção”, afirmou o delegado-chefe da 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul), Josué Ribeiro.

O suspeito e a mãe de Isabella moravam juntos há cerca de nove meses, quando ela veio do Sul para o DF. Como Igor estava de férias do trabalho, ficava encarregado dos cuidados com a menina.

 

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação