Guará

Vídeo mostra momento em que segurança mata cliente em frente ao bar

O crime ocorreu na terça-feira (13/2), em frente ao Oásis, na QE 40. O acusado do crime foi preso

Segurança foi preso  -  (crédito: Material cedido ao Correio)
Segurança foi preso - (crédito: Material cedido ao Correio)
postado em 23/02/2024 19:32 / atualizado em 29/02/2024 16:25

Vídeo obtido com exclusividade pelo Correio mostra o momento em que o segurança de um bar do Guará 2 esfaqueia e mata um cliente. O homicídio ocorreu na terça-feira (13/2), em frente ao Oásis, na QE 40, e o acusado do crime, identificado como Marciel de Sousa Barros, foi preso na segunda-feira (19/2).

A filmagem mostra a vítima, Luiz Fernando Alves da Silva, ainda dentro do veículo, quando é abordada pelo segurança e atingido com diversas facadas. Em depoimento prestado à polícia logo após os fatos, uma das seguranças contou que, na noite do crime, ao chegar para trabalhar, viu Luiz dentro do carro dele, estacionado perto do Oásis, com seu colega de trabalho também no interior. Momentos depois, presenciou a vítima agredir Marciel com socos e chutes.

O segurança teria reagido e os dois homens iniciaram uma briga no interior do automóvel. Depois de alguns minutos, o segurança teria descido do carro, entrado e ficado no bar por um curto tempo, e fugido. O vídeo mostra o exato momento que o autor para de esfaquear o cliente e entra no estabelecimento.

Marciel ficou foragido até segunda-feira, quando foi preso pelos policiais civis da 4ª Delegacia de Polícia (Guará) ao se apresentar na delegacia na companhia de um advogado. Em razão do mandado de prisão, ele ficou detido e vai responder por homicídio. Luiz chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

"Trata-se de inquérito policial instaurado mediante portaria com o objetivo de avançar a investigação criminal desencadeada para apurar o crime de homicídio duplamente qualificado pelo motivo fútil e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima Luiz praticado pelo autor Marciel. A qualificação por motivo fútil foi decorrente de desavenças anteriores. Já a outra qualificadora foi em razão do ataque surpresa e repentino, de forma premeditada", afirmou o delegado responsável pelo caso, Herbert Leda.

Marciel permanece preso e se encontra à disposição da Justiça.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação