INVESTIGAÇÃO

Polícia Civil do RJ sugere arquivamento de caso Tom Veiga, intérprete de Louro José

Veiga foi encontrado morto dentro de casa em novembro do ano passado; laudo aponta AVC hemorrágico

João Mello - Especial para o Uai
postado em 10/08/2021 18:45 / atualizado em 10/08/2021 18:46
 (crédito: Reprodução/Twitter)
(crédito: Reprodução/Twitter)

A Polícia Civil do Rio de Janeiro sugeriu ao Ministério Público o arquivamento do inquérito que investiga a morte de Tom Veiga, intérprete do Louro José. O grande parceiro de Ana Maria Braga no Mais Você foi encontrado morto dentro de casa em novembro de 2020.

Para a polícia, não há indícios de que a morte tenha participação de terceiros. Os investigadores reforçam a falta de elementos que comprovem que o falecimento se deu de maneira violenta. "As investigações apontaram que não há elementos informativos que indiquem causa violenta, incluindo os resultados de perícia de local e de exame cadavérico", disse a instituição em nota enviada ao F5.

Ainda segundo a Polícia, a escolha por pedir o arquivamento se deu após os investigadores da 16ª DP, da Barra da Tijuca, terem ouvido novas testemunhas e examinado laudos periciais, além de realizarem as "demais diligências cabíveis", como informou a nota. O inquérito foi aberto para assegurar que o falecimento de Tom não era suspeito.

O laudo do IML aponta que Tom Veiga, que tinha 47 anos, faleceu após sofrer um AVC (Acidente Vascular Cerebral) hemorrágico, oriundo de um aneurisma. O intérprete do Louro José, idealizado pela própria Ana Maria, alegrou as manhãs globais por mais de 20 anos.

"O Tom era um menino de sorriso solto, sempre alegre, um humor único e talentoso demais. A fragilidade da vida nos pegou mais uma vez de surpresa e me deixou completamente sem chão", disse a apresentadora na ocasião.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE